Águas de Penha reforça sistema para minimizar impactos do aumento do consumo no Verão

A concessionária Águas de Penha investiu cerca de R$ 2,1 milhões em obras e melhorias do sistema de abastecimento de água do município para reforçar a  distribuição e minimizar os impactos do aumento do consumo no verão. A solução definitiva, no entanto, só virá quando a empresa implantar o sistema próprio de distribuição de água. Atualmente, a concessionária Águas de Penha compra 85% da água tratada de Balneário Piçarras – o restante é captado de poços profundos e distribuído para atender as necessidades de moradores e veranistas.

Os investimentos realizados ao longo deste ano para garantir um verão mais tranquilo incluem reforço em um trecho de 1.400 metros da rede da Praia Grande, que agora conta com uma tubulação de 150 milímetros, e em 4 mil metros da área central e da Praia da Armação, beneficiada com tubulação que varia de 400 milímetros a 100 milímetros de diâmetro dimensionadas para suportar o crescimento de médio e longo prazo. Também foram concluídos 3.500 metros de extensão de rede de distribuição, substituídos outros 850 metros de redes de distribuição e realizadas 590 novas ligações, beneficiando diferente bairros da cidade e atendendo o crescimento populacional.

Além de investir em áreas que tradicionalmente apresentavam problemas de desabastecimento durante a temporada de verão, a concessionária também realizou melhoria  nos poços utilizados para a captação de água  e estudos dos mananciais de águas subterrânea para perfuração de dois novos poços em 2019. “Essas estruturas podem ajudar a minimizar a dependência de água da empresa que hoje fornece água para Penha”, destaca Guilherme. Atualmente os poços existentes no município são utilizados para abastecer os bairros Gravatá, São Miguel, parte da Santa Lídia, além de São Cristovão e São Nicolau.

 

Sistema próprio de água

O atraso nas obras do sistema próprio de abastecimento de água se deve a não obtenção, até o momento, das licenças ambientais, de responsabilidade da prefeitura. A concessionária precisa obter um documento emitido pelas prefeituras de Balneário Piçarras, Navegantes e Luiz Alves, autorizando a passagem da adutora de água bruta e demais obras relacionadas em seus domínios municipais,  sob responsabilidade do Executivo. Apenas o município de Balneário Piçarras concedeu a autorização até o momento.

Para o sistema coletor e de tratamento de esgoto, o estudo de concepção já está pronto e concessionária finaliza a coleta de dados topográficos para a elaboração do projeto executivo. Para que a Águas de Penha possa dar entrada na primeira das três fases do licenciamento, é necessário que o Executivo indique a área da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), decretando-a de utilidade pública. Somente após a definição deste local, a empresa poderá finalizar os projetos e ingressar com o processo de licenciamento ambiental por completo.

Guilherme Roberto Bueno, gestor operacional da Águas de Penha,  explica que a concessionária trabalha constantemente para aperfeiçoar os serviços. “Atuamos permanentemente para aumentar a eficiência dos serviços prestados e garantir água de qualidade e em quantidade para a população”.

Caminhões-pipas

O atendimento aos consumidores também terá o reforço de três caminhões-pipa contratados para entrar em operação em caso de desabastecimento. Guilherme enfatiza que é no verão que mais se sente a falta da água. “Com as temperaturas elevadas, o consumo aumenta drasticamente e muitos acabam sofrendo com a escassez ou o racionamento, por isso é fundamental a população não desperdiçar água e possuir reservação suficiente para 24H de consumo em suas casas”.

Ele recomenda aos clientes que evitem banhos demorados, mantendo a torneira fechada enquanto se ensaboa; deixar as mangueiras d’água enroladas, optando por molhar plantas com regador, e reaproveitar a água da máquina de lavar roupa para a limpeza do chão de casa ou da calçada. E, quando for escovar os dentes, não deixar a água escorrer livremente pela pia.