Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
Noticia BR

Ambev transforma suas geladeiras em ecológicas e reduz mais de 33 mil toneladas de emissões de CO² na atmosfera por ano

Novos equipamentos nasceram do reaproveitamento de materiais descartados e, com uso de tecnologia, foram transformados em eco coolers. Além da redução das emissões de gás carbônico, operação desses refrigeradores geraram economia de até 50% de energia elétrica

Já parou para pensar que por trás da famosa cerveja gelada que os brasileiros tanto gostam estão geladeiras e máquinas de refrigeração? Equipamentos que resfriam, congelam ou aquecem são responsáveis por, aproximadamente, 7% das emissões de gases de efeito estufa do mundo. Esse número mostra uma percepção pouco visível para as pessoas de que pequenos hábitos e rotinas também têm impacto direto no planeta.

Foi assim que a Ambev, em sua jornada de sustentabilidade, vem buscando soluções aos problemas ambientais, dos menores e que estão ligados aos hábitos dos consumidores até uma forte agenda de compromissos com o meio ambiente, pensando não só no hoje, mas principalmente no futuro.

Investindo em gases menos poluentes, que não afetam a camada de ozônio, e na redução de consumo energético das geladeiras, a companhia iniciou em 2008 a transformação de 660 mil refrigeradores em operação no país para ecológicas. Por meio do projeto de economia circular, atualmente, 70% destas geladeiras foram transformadas em eco coolers, o que representa 465 mil equipamentos em funcionamento. A meta é que até 2025 a Ambev transforme 100% de todas as geladeiras em ecológicas.

Os eco coolers, além de reduzir em 33 mil toneladas as emissões de CO2 por ano – o que equivale à captação de carbono realizada por 198.000 árvores, também geram economia significativa aos parceiros da companhia. As geladeiras de resfriamento de cerveja quando transformadas em ecológicas apresentam uma economia de 46% no consumo de energia elétrica. Já os equipamentos de bebida não alcoólicas (como refrigerantes), representam 50% de redução no consumo energético.

Do total de geladeiras ecológicas, 307 mil ganharam nova vida útil mais sustentável a partir de iniciativas de economia circular. Com a ação, a Ambev reaproveitou 172 toneladas de alumínio, 19 mil toneladas de ferro e 314 toneladas de cobre. Como efeito comparativo, a quantidade de alumínio se iguala ao descarte de latinhas em 11 carnavais paulistas, a quantidade de ferro daria para construir 2,6 Torre Eiffel e a quantidade de cobre que em fio poderia dar 440 voltas no planeta Terra.

“Temos apostado no desenvolvimento sustentável dos refrigeradores utilizados em todo o país em pontos de venda e estabelecimentos comerciais, como bares e restaurantes. Com a transformação ecológica destes equipamentos reduzimos as emissões de gás carbônico no meio ambiente, algo que se assemelha ao que 4.360 carros geram em um ano. Mais do que isso, transformamos, de uma forma pioneira, materiais que seriam descartados e demos um novo destino a eles, com implementação de tecnologia e inovação”, conta Rodrigo Figueiredo, Vice Presidente de Suprimentos e Sustentabilidade na Ambev.

Foco no futuro

A Ambev foi pioneira ao traçar, em 2018, metas de sustentabilidade ambiciosas para 2025, alinhadas à sua plataforma de sustentabilidade global. Os compromissos contemplam objetivos climáticos, de gestão de água, agricultura sustentável e embalagem circular.

De lá para cá, a companhia já tem conquistas sólidas ao ser referência global em eficiência hídrica e bater, antes mesmo do período estipulado de 2025, a meta, com a média de 2,5 litros de água para cada litro de cerveja. Em 2020, seu consumo de água foi 4,7% menor do que em 2019. Isso representa, se comparado ao consumo de água em 2002, uma redução de 55%. Nos últimos 15 anos, a Ambev já alcançou a redução de carbono em 63% de emissões de escopo 1. Além disso, a companhia tem investido em muita inovação, tecnologia e parcerias, gerando resultados verdadeiramente positivos.

Posts Relacionados

Aumento do desemprego, queda do poder de compra e a recuperação do orçamento familiar preocupam na região Sul

Maior evento de geotecnologia acontece esse mês e mostra quem está na liderança da transformação no país

Vida de 35 milhões de brasileiros está em risco por falta de saneamento básico

Setembro Amarelo: ansiedade e estresse deixam trânsito brasileiro mais violento

Diário da Cidade

‘Golpe da novinha’, a nova modalidade de cibercrime no Brasil

Familiares e infectados pela Covid-19 têm direito a benefícios do INSS

Pela primeira vez, aplicativo de comida brasileiro atenderá uruguaios na fronteira

Mandar prints de conversas do WhatsApp pode gerar indenização

Agosto encerra com a média da gasolina próxima dos R$ 6 na Região Sul, aponta Ticket Log

Venda de passagens rodoviárias dobra no feriado de 7 de setembro

“Passaporte da vacina está em conformidade com a Constituição Federal e não há impedimento à sua aplicação”

Federação Nacional das Empresas de Rádio e Televisão (FENAERT) repudia o ataque feito à imprensa nesta quarta-feira (08/09)

Mitos e verdades sobre a mamografia

Estes são os top 10 países mais felizes do mundo

Dia mundial de Duchenne: PTC apoia campanha “Esse menino sou eu” para conscientização sobre doença rara

Tecnologia brasileira para transporte público sustentável é destaque em evento internacional

Diário da Cidade

PT perde ação de dano moral contra Luciano Hang

Diário da Cidade

CBF anuncia Kwai como novo patrocinador das seleções femininas e masculinas

PL quer restringir direito de dirigir a agressores de mulheres

Correios, Viracopos e Receita Federal iniciam projeto para embarque de carga internacional