Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
ENTRETENIMENTO

Cirurgia plástica em 2021 visa mais segurança e melhores resultados com novas tecnologias

Apesar de 2020 ter sido um ano atípico, a busca pela saúde e pela cirurgia plástica como aliada para manter corpo e mente em dia continua em crescimento no Brasil.
O país já lidera o rancking mundial, ultrapassando os Estados Unidos, que contabiliza 18 milhões de procedimentos cirúrgicos anualmente.
De acordo com o cirurgião e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Adel Bark Junior, a segurança, aliada às novas tecnologias para um pós-operatório mais eficaz – são as tendências para 2021.
“Procedimentos que visam a melhora do contorno corporal como, por exemplo, a lipoescultura e a lipoaspiração, nunca saem de moda. Além disso, as cirurgias de mama e abdominoplastia são procuradas durante todo o ano e certamente continuarão entre as mais realizadas”, disse.

O que muda – A lipoaspiração tem mudado muito e deixou de ser uma cirurgia apenas para a retirada de gordura localizada. Cada vez mais os enxertos de gordura têm sido utilizados para melhorar o contorno corporal.
Entre as novidades estão a vibração da cânula utilizada para a lipoaspiração, que possui marcas diferentes de vibrolipoaspiradores no mercado e que contribuem para reduzir o esforço do cirurgião e o tempo cirúrgico, trazendo ainda mais segurança para o procedimento.
Outra novidade – esta ainda mais recente no mercado – é o Renuvion®️, ou jato de plasma de gás hélio. Ele atua na zona fibro-septal, estimulando a produção de colágeno, sendo considerado o melhor aparelho disponível para retração de pele.
“O fator mais importante na lipoaspiração continua sendo o cirurgião, mas novas tecnologias auxiliam a retirada e o preparo da gordura para enxerto, minimizando o sangramento e ajudando na recuperação pós-operatória”, explica o cirurgião Adel Bark Junior.
Ele conta ainda que a marcação da musculatura, especialmente na região do abdômen, braços e pernas, tem se tornado quase que rotineira em sua prática diária. “Além das mudanças conceituais, a utilização de novas tecnologias proporcionam melhores resultados e maior segurança ao procedimento”, completa.

Responsabilidade compartilhada – Uma das preocupações dos cirurgiões, cada vez mais, é com a segurança do paciente e da equipe cirúrgica. Antes da pandemia, o tempo cirúrgico já era considerado um importante fator para limitar casos de cirurgias associadas – quando a paciente quer realizar mais de um procedimento de uma só vez.
Agora, os cirurgiões plásticos incluíram ainda mais medidas de segurança para garantir a saúde do paciente, da equipe e o sucesso do pós-operatório.
“A escolha da tecnologia a ser utilizada é baseada na indicação cirúrgica de cada caso. No entanto, em nossa clínica temos tomado todas as medidas de prevenção – com as condutas sendo atualizadas periodicamente, mas é fundamental que a pessoa que vai se submeter a uma cirurgia nesta época também tome os cuidados para evitar qualquer contaminação”, informa o médico.
Outro fator importante, segundo ele, é que o paciente que irá realizar a lipoaspiração ou lipoescultura tenha em mente que o procedimento não é
uma técnica para emagrecimento e não garante a manutenção do resultado caso exista ganho de peso.
“A manutenção dos resultados depende do compromisso dos pacientes em relação ao controle do peso. Logo, manter hábitos saudáveis e praticar exercícios físicos são fundamentais. De igual forma, a avaliação do estado de saúde através de exame físico e de exames complementares é mandatória antes da cirurgia”, finaliza Adel.

Lipoaspiração – Lipoaspiração é a segunda cirurgia plástica estética mais realizada no país, conforme Censo de 2018 da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Pelo Censo 85% das pacientes são mulheres e 75% têm idade entre 19 e 50 anos. O procedimento melhora o contorno corporal e pode ser realizado com diferentes tipos de laser, que promovem a lipólise e a retração da pele. Em áreas com espessura menor da derme como face medial das coxas e dos braços esta adaptação da pele pode não ocorrer, resultando em flacidez, e demandar a retirada do excesso com a criação de uma cicatriz.

Posts Relacionados

Engenheiro civil abandona carreira para ser escritor e viraliza no TikTok

Com liberação da vacina, escritor brasileiro sugere positivismo pós-pandêmico

Música, descontração e apresentações gratuitas no Sul da Ilha de SC

Programação especial traz atividades de circo e brincadeiras antigas às férias do Itajaí Shopping

Circuito de Cicloturismo da Costa Verde & Mar conta com mais de 40 atrativos turísticos

Razões que podem contribuir com a queda de cabelo

Campeã do Musa do Brasileirão troca as passarelas pelo empreendedorismo

Rede de franquia Stonia chega a Balneário Camboriú

Fun Museu anuncia horário especial de atendimento até fevereiro

INTERAÇÃO ENTRE CRIANÇAS E PETS: UMA LIGAÇÃO BENÉFICA DURANTE A INFÂNCIA

Roda gigante inaugura nesta quinta-feira e será aberta ao público a partir de sexta-feira

Balneário Shopping e Instituto Guga Kuerten irão beneficiar 80 crianças

Atrações Disney e Papai Noel interativo irão surpreender no Balneário Shopping

Cacau Show antecipa ChocoFriday para membros do Cacau Lovers

3 autoras de romance para ler ainda este ano

Diário da Cidade

Músico catarinense Gui Franzói lança single e inicia novo momento na carreira

Escritora lança série de vídeos no Youtube sobre a literatura africana

Cerveja Corona lança linha exclusiva de produtos em colaboração com marca de Garopaba

Shopping Itaguaçu apresenta campanha com foco em inovação

Depois da Tempestade: o desespero do término e a importância do amor próprio

Oi, este aviso é só pra te lembrar de CURTIR nossa FanPage no Facebook

Assim, você poderá estar cada vez mais atualizado das novidades de sua região!

CLOSE
%d blogueiros gostam disto: