Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
DESTAQUES

Combatendo a violência contra a mulher

*Alessandra Augusto, psicóloga clínica

 

Na pandemia, houve o triste aumento de casos de violência contra a mulher. Devemos reforçar que violência é qualquer tipo de agressão, seja ela física, psicológica, sexual, patrimonial ou moral e deve ser combatida.

 

Alguns fatores como o aumento do consumo de álcool e drogas, problemas financeiros e com a saúde mental, podem ser gatilhos para revelar indivíduos agressivos ou expor mais o lado violento da pessoa. Temos que levar em consideração que o indivíduo não se tornou violento ou agressor durante a pandemia. A violência é um comportamento aprendido em casa ou na sociedade.

Muitos acreditam que no período pós-pandemia as agressões vão diminuir, caso isso ocorra, a queda não corresponde à realidade. Em lares que ocorrem essas agressões, as relações e os laços familiares já apresentam fragilidades, muitas vezes por conta de históricos de violência verbal e até física.

 

Para combater é importante dar voz e credibilidade a vítima. Muitas vezes, ela fica desacreditada, pois parte dos agressores são sociáveis, bons amigos e prestativos. Isso faz com que estejam acima de suspeitas, mas em seu lar são opressores, violentos e agressores. Também é importante que vizinhos não se calem ao perceber algo, porque a vítima, em geral, sente vergonha ou medo de buscar ajuda.

 

Alguns serviços acessíveis são a DEAM (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher) com atendimento voltado para demanda da violência doméstica, dando o suporte e encaminhando a vítima para a rede de apoio, também às medidas protetivas e aos abrigos sigilosos. Além disso, tem a campanha “sinal vermelho”, que a mulher pode receber auxílio em farmácias imediatamente ao exibir um “X” na mão.

 

No artigo 35 da Lei nº 11.340/06 prevê que a União, o Distrito Federal, os Estados e os Municípios poderão criar e promover, no limite de suas competências, centros de educação e de reabilitação para os agressores; e o artigo 45 estabelece que nos casos de violência doméstica contra a mulher, o juiz poderá determinar o comparecimento obrigatório do agressor aos programas de recuperação e reeducação. Para casos urgentes, existem o Disque 180, da Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, e o 190, da Polícia Militar.

 

Dedico parte do meu tempo divulgando esses serviços em minhas redes sociais, sendo voluntária do Projeto Justiceiras, acolhendo, auxiliando, empoderando e fazendo com que essa vítima perceba que pode estar em situação de violência. Para combater a violência precisamos de uma rede de apoio, com medidas e ações educacionais, sociais e jurídicas. Denuncie qualquer tipo de violência contra a mulher.

 

(*) Alessandra Augusto é formada em Psicologia, Palestrante, Pós-Graduada em Terapia Sistêmica e Pós-Graduanda em Terapia Cognitiva Comportamental e em Neuropsicopedagogia. É a autora do capítulo “Como um familiar ou amigo pode ajudar?” do livro “É possível sonhar. O Câncer não é maior que você.

Posts Relacionados

Edson Piriquito anuncia Ademar Schneider como vice-candidato em Balneário Camboriú

Diário da Cidade

Acidente fatal causa lentidão na BR-101 em Balneário Camboriú

Propagandas políticas deverão conter audiodescrição e interpretação de Libras

Setembro Amarelo: a importância de falar sobre a prevenção do suicídio

Novos prefeitos precisarão acelerar o saneamento

Balneário Camboriú registrou 17 novos casos de Covid-19

Câmara de Balneário Camboriú retoma atendimento ao público externo

Edson Piriquito é definido como Pré-Candidato a Prefeito em Balneário Camboriú

MDB Balneário Camboriú realizará convenção no próximo dia 12/09 e lançará Edson Piriquito

Saúde da Mulher: câncer no colo do útero

Transferência de Messi pode ser mais cara do que as quatro maiores da história somadas

Diário da Cidade

IFC busca voluntários para acolhimento de futuros cães-guia

INSS notifica beneficiários por cartas físicas e digitais enviadas pelos Correios

Interditado o cultivo de moluscos de Laranjeiras e Barra em Balneário Camboriú

Udesc segue entre melhores universidades no ranking global da Times Higher Education

Mesmo com empréstimo de 30 milhões “requalificação” não passou no Nova Esperança

59 vagas de emprego abertas em Balneário Camboriú e região

Homem de 54 anos é a 67ª vítima do coronavírus em Balneário Camboriú

Confira o boletim epidemiológico de Camboriú

Cerveja Corona cria iniciativa para apoiar financeiramente o turismo local

Oi, este aviso é só pra te lembrar de CURTIR nossa FanPage no Facebook

Assim, você poderá estar cada vez mais atualizado das novidades de sua região!

CLOSE
%d blogueiros gostam disto: