Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
ENTRETENIMENTO

Como fica a pensão alimentícia se a minha renda foi afetada pelo coronavírus?

Advogada explica se há como reduzir o valor durante a pandemia
A pandemia do novo coronavírus mudou a rotina de milhares de brasileiros no último mês, as aulas foram suspensas ou estão sendo aplicadas a distância, muitas pessoas transferiram seus escritórios para casa, shoppings estão fechados, assim como museus, bibliotecas, restaurantes, entre outros estabelecimentos.

Com a maioria das pessoas em casa, muitas empresas foram afetadas a ponto de precisarem até demitir seus colaboradores. Com isso, a renda de muitos brasileiros foi prejudicada e não será totalmente recuperada nem mesmo com o benefício do Governo Federal que disponibilizou o auxílio emergencial de R$ 600 para microempreendedores individuais, trabalhadores informais, contribuintes individuais da Previdência Social, desempregados, famílias com a renda mensal menor que R$522,50 por pessoa ou que a renda familiar ultrapasse o valor total de R$ 3.135.

Existe outra questão que vem atingindo diretamente as famílias devido ao isolamento em razão da pandemia de coronavírus: há quem esteja sem condições de pagar os valores da pensão alimentícia.

Debora Ghelman, advogada especialista em Direito Humanizado nas áreas de Família e Sucessões, afirma que a crise econômica gerada pelo coronavírus significa diminuição de vendas no comércio, perda em investimentos financeiros e o aumento do desemprego e explica que não serão raros os pedidos de revisão de pensão alimentícia.

“Importante esclarecer que a pensão alimentícia é arbitrada pelo juiz levando em consideração a possibilidade de quem paga e a necessidade de quem precisa dos alimentos. Trata-se do conhecido binômio necessidade/possibilidade. E o valor da pensão só poderá ser aumentado ou reduzido caso haja alguma alteração na renda do devedor ou credor dos alimentos. Então, comprovada a redução na capacidade econômica do devedor, é bastante plausível que haja um pedido judicial de revisão dos alimentos” diz a especialista.

A advogada ainda esclarece que apenas alegar que a renda foi afetada pelo coronavírus não é o suficiente para que seja arbitrada uma redução no pagamento, é preciso provar que houve uma diminuição na renda do devedor e que ela não é suficiente para arcar com o pagamento integral da pensão.

“Além disso, considerando-se que as contas para a manutenção da vida continuarão sendo cobradas e que, caso a criança seja contaminada com o vírus, os valores podem aumentar muito, é preciso ter muita cautela nos pedidos de revisão de alimentos que, com certeza, figurarão nas varas de família” explica.

Caso o valor realmente seja reduzido, é importante se atentar se a mudança é temporária ou se perdurará no tempo. Se o pagador for um comerciante que teve seu negócio fechado por alguns meses, mas quando retornou conseguiu recuperar totalmente sua renda, o valor da pensão deve voltar a ser o mesmo de antes da pandemia, e até mesmo pode acontecer uma compensação pelos valores diminuídos anteriormente.

Também devido à pandemia, no último dia 25, O STJ (Superior Tribunal de Justiça) estendeu a todos os presos por dívida alimentícia os efeitos de uma decisão liminar que garante a prisão domiciliar. Na sexta-feira (3), o Senado aprovou projeto de lei que, entre outros pontos para a contenção do vírus, estabelece o regime domiciliar para os casos de atraso em pensão.

“Diversos arranjos podem ser feitos nessa situação totalmente inédita que vivemos, só deve-se sempre lembrar que a prioridade é que as despesas dos filhos sejam devidamente pagas. A pensão alimentícia é uma obrigação vinculada à sobrevivência daquele que os necessita, abrangendo tudo quanto o filho precisa para a sua sobrevivência e manutenção como ser social” finaliza Debora.

*Debora Ghelman é advogada especializada em Direito Humanizado nas áreas de Família e Sucessões, atuando na mediação de conflitos familiares a partir da Teoria dos Jogos.

Posts Relacionados

Especialista em Desbloqueio Emocional lança podcast com tema “O Poder do Agora”

A sensação de impotência na pandemia

Biomédica carioca aposta na literatura e se destaca com livro de lançamento

Lojas do Itajaí Shopping entram no clima da volta às aulas

Exposição Coletiva INTROITO inaugura novo espaço expositivo em Florianópolis

Engenheiro civil abandona carreira para ser escritor e viraliza no TikTok

Com liberação da vacina, escritor brasileiro sugere positivismo pós-pandêmico

Música, descontração e apresentações gratuitas no Sul da Ilha de SC

Programação especial traz atividades de circo e brincadeiras antigas às férias do Itajaí Shopping

Circuito de Cicloturismo da Costa Verde & Mar conta com mais de 40 atrativos turísticos

Razões que podem contribuir com a queda de cabelo

Campeã do Musa do Brasileirão troca as passarelas pelo empreendedorismo

Cirurgia plástica em 2021 visa mais segurança e melhores resultados com novas tecnologias

Rede de franquia Stonia chega a Balneário Camboriú

Fun Museu anuncia horário especial de atendimento até fevereiro

INTERAÇÃO ENTRE CRIANÇAS E PETS: UMA LIGAÇÃO BENÉFICA DURANTE A INFÂNCIA

Roda gigante inaugura nesta quinta-feira e será aberta ao público a partir de sexta-feira

Balneário Shopping e Instituto Guga Kuerten irão beneficiar 80 crianças

Atrações Disney e Papai Noel interativo irão surpreender no Balneário Shopping

Cacau Show antecipa ChocoFriday para membros do Cacau Lovers

Oi, este aviso é só pra te lembrar de CURTIR nossa FanPage no Facebook

Assim, você poderá estar cada vez mais atualizado das novidades de sua região!

CLOSE
%d blogueiros gostam disto: