Como foi a praia em plena terça-feira para quem pode organizar a rotina e afogar o calor

177

Quem são aquelas pessoas que em um terça-feira ensolarada, às 11h, estão deixando todos com inveja nas redes sociais postando fotos da praia, céu azul e mar verdão? Os dias de calor assolam quem tem que ficar sob o ar-condicionado ou entre os prédios do Centro e, ao mesmo tempo, abençoam quem pode organizar horários e compromissos para curtir o dia. O clima de verão que teima em se estender ao longo do mês de abril ainda leva pessoas às praias, mas até quando?

Gabriela Duarte curte o sol ao som da música “Olha só, moreno”, de Malu Magalhães. Deitada sobre a canga, aproveita a manhã de folga em um dos dias que não tem aula de Administração. Praticamente ao lado de Gabriela, o empresário César Vasconcellos passa parafina da prancha de surfe, ansioso para cair no mar. Há 10 anos, ele buscou mudar o estilo de vida de modo que permitisse aproveitar um pouco mais os dias de sol e o tempo livre.

Na Joaquina, onde nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro o som de bares e restaurantes é praticamente um barulho constante, nesta terça-feira era harmonioso. Sem tumulto ou areias lotadas. Muito menos caipiras e cervejas e muito mais sucos e águas-de-coco. Quem está por ali quer curtir mais e agitar menos.

Gustavo Couto decidiu que estaria na praia ainda na segunda-feira, quando prometeu que se fizesse sol e calor no dia seguinte, a estadia nas areias era “obrigatória”. Nesta terça-feira, acordou mais cedo, tomou um café da manhã com a esposa na Lagoa da Conceição e foram os dois curtir a manhã na Joaquina.

— Mas agora, às 13h30min, eu tenho que voltar e trabalhar — comenta o empresário.

Na vizinha Praia Mole o ritmo é o mesmo, tranquilo e convidativo. Difícil é trabalhar por ali. Suellen Lorenci estava sentada na areia com as ondas carinhosamente aos seus pés. Nesse vai e vem do mar, a nutricionista de Joaçaba viaja pelo país. Seu trabalho é atender pacientes de forma particular e reformular os hábitos alimentares. Os pacientes estão em diversas cidades, ela trabalha online e viaja para visitá-los periodicamente. Agora, passa uma semana em Florianópolis.

— Como trabalho pelo computador nesse período de criar os planos, posso fazer mais tarde — conta ela, que tirou a manhã para aproveitar o mar.

O casal de aposentados Eleno e Isabel Coelho relaxam sob o guarda-sol. Uma brisa sopra do mar e torna o calor abafado muito mais agradável. Mas qualquer coisa um banho de mar, logo ali, resolve.

— Florianópolis tem um sério problema de mobilidade urbana, e esses dias de semana são os melhores para ir à praia. E, claro, esse calor de abril deixa ainda mais agradável — conta Coelho, que não quis ficar convalescendo, em suas própria palavras, no Centro.

Calor até domingo
Gustavo, Eleno, Gabriela, César e Fernanda ainda terão alguns dias de verão em pleno outono para curtir. A previsão do tempo indica que as altas temperaturas devem continuar até domingo. A exceção deve ser quinta e sexta-feira, quando algumas pancadas de chuva podem deixar o tempo mais ameno. No fim de semana, o calor volta com força.

A segunda e terça-feira devem representar a chegada de uma frente fria e fortes chuvas devem acontecer no início da semana. A partir de quarta-feira, o outono deve chegar com suas temperaturas mais baixas e indicar o caminho para o inverno.