Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
Noticia SC

Covid-19: Webinário debate controvérsia sobre envio de dados nacionais ao Ministério da Saúde

Debate online foi promovido pelo MPF de SC, RS, PR e PRR4 e reuniu representantes de instituições que tratam de políticas públicas de enfrentamento da pandemia

Imagem: canal do YouTube – MPF/SC

Os conselhos nacionais de secretários de saúde dos estados e dos municípios refutaram a afirmação do Ministério da Saúde de que o não envio de dados tidos como necessários para a tomada de decisões podem prejudicar o combate à pandemia do coronavírus no país. A controvérsia foi debatida online durante webinário promovido nesta quarta-feira (8) à noite pelas instâncias do Ministério Público Federal (MPF) dos três estados do Sul.

Participante do debate, transmitido ao vivo e disponível no canal do MPF no YouTube, o coronel Luiz Otavio Franco Duarte, secretário de Atenção Especializada à Saúde do Ministério da Saúde (MS), afirmou que os estados não enviam dados, sem os quais disse não ser possível fazer a integração. Ele citou como exemplo Porto Alegre – onde afirmou existirem 233 leitos exclusivos para tratamento da covid-19 e outros 961 não exclusivos – que no MS consta com ocupação zero porque as informações não são enviadas.

“Sem esses dados fico sem uma ferramenta célere para tomada de decisão”, disse o coronel Franco Duarte. Segundo ele, o Distrito Federal também está zerado no envio de dados de ocupação de leitos por pacientes de covid.

No entanto, Cristiane Martins Pantaleão, vice-presidente do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (Conasems), que é de Ubiratã (PR), disse logo em seguida que a alimentação dos sistemas do MS não atrapalha a organização da ocupação de leitos. Para ela, o grande desafio é resolver os problemas imediatos de recursos humanos. “Com a reposição dos recursos humanos, 80% dos cuidados da atenção básica estarão garantidos”, disse.

Heber Bernardi, assessor técnico do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), disse que não é a falta de informação do Ministério da Saúde que provoca desacerto, relatando problemas enfrentados com a falta de medicamentos do “kit intubação”. Segundo ele, levantamento feito entre 20 secretarias estaduais de saúde em 10 de junho mostrou que todos tinham problemas com a entrega de medicamentos. “O consumo médio mensal não vai necessariamente indicar quais medicamentos o Sul mais necessita no momento”, disse.

Integração – “O mais importante desse debate foi buscar a integração dos órgãos, incluindo MPF e Conselho Nacional de Saúde, e o monitoramento dos problemas”, avaliou o procurador da República Fábio de Oliveira, do MPF em Santa Catarina, coordenador do webinário. “Entre os temas específicos que foram debatidos, destaco a estruturação da rede hospitalar, com garantia de habilitação de leitos de UTI, compromisso do MS de que há respiradores disponíveis e que a situação da falta de anestésicos está sendo resolvida. Ou seja, o problema da estrutura hospitalar está sendo bem enfrentado”, avaliou. Ele também considerou muito importante os contrapontos entre MS, que acusa gestores estaduais que não alimentarem o sistema, o que impediria a definição de estratégias, informação refutada pelo Conasems e pelo Conass.

A falta de médicos para o SUS também foi abordada pelo procurador Fábio de Oliveira, que citou dados do site do Mais Médicos indicando a existência de 161 vagas abertas em Santa Catarina, 217 no Paraná e 329 no Rio Grande do Sul. O coronel Franco Duarte respondeu garantindo que o programa Brasil Conta Comigo do MS vai “equalizar as ausências” do Mais Médicos.

Medicação precoce – A subprocuradora da República Célia Regina Souza Delgado, coordenadora nacional finalística do Gabinete Integrado de Acompanhamento da Epidemia (Giac-Covid-19), reafirmou a indicação da autonomia médica para a medicação precoce. “O que o Ministério da Saúde não fez foi obrigar que o medicamento seja ministrado, por isso existe um protocolo tratando do assunto”, disse.

Justificando a utilização da medicação precoce para o tratamento da covid-19, Maria Inez Pordeus Gadelha, chefe de gabinete do coronel Franco Duarte, da Secretaria de Atenção Especializada à Saúde do MS, disse que a estratégia é não deixar o paciente chegar à UTI. “Se deixar chegar na UTI, a situação não seria controlada”, disse. Ela defendeu o uso da cloroquina citando 49 trabalhos publicados que relatam a redução de sintomas, evitando a necessidade de atendimento hospitalar.

O professor Luciano Goldani, vice-diretor da Faculdade de Medicina da UFRGS e infectologista do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, disse que há uma gama de medicações que não têm eficácia comprovada. “Não temos nenhum estudo bem feito que demonstre efetivamente a eficácia no tratamento na fase precoce da covid. Muitos médicos ficam apreensivos porque nessa fase não tem medicamento de eficácia comprovada”, afirmou.

Frigoríficos – Também foi abordado durante o debate online a questão da alta contaminação do coronavírus em frigoríficos, o que representa a maioria dos casos registrados no Oeste de Santa Catarina. De acordo com a Secretaria de Atenção Especializada à Saúde do Ministério da Saúde, um protocolo em conjunto com os ministérios da Economia e da Agricultura está sendo elaborado e estará pronto “muito em breve”, com orientações para o enfrentamento do problema. A subprocuradora Célia Delgado lembrou que já foram assinados Termos de Ajustamento de Conduta (TAC) acordados pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) com 78 frigoríficos em todo o país.

O webinário “Enfrentamento à pandemia de covid-19 no Sul do Brasil | Avaliações e perspectivas” foi organizado pelos membros do MPF de RS, SC e PR ligados à temática e pelo Núcleo de Apoio Especializado à Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) na 4ª Região, com apoio da própria PFDC e da 1ª Câmara de Coordenação e Revisão (Direitos Sociais e Fiscalização dos Atos Administrativos em Geral) do MPF.

Posts Relacionados

Campanha “Você está de férias, mas o Coronavírus não!” busca sensibilizar visitantes da Costa Verde & Mar (SC)

De Vw Voyage a imóveis no litoral: veja os bens dos candidatos à prefeitura de Balneário Camboriú.

Diário da Cidade

Agência Nacional de Águas inclui Santa Catarina no projeto Monitor de Secas

História em quadrinhos valoriza cultura italiana do sul do Brasil

Prazo para inscrições no Programa de Pesquisa Universal termina dia 23 de setembro

Recicla Xanxerê coleta mais de 6 toneladas de produtos

Setembro amarelo e o tabu com o tema

Projeto de Dário torna inafiançável crime relacionado a pedofilia

Novo protocolo sanitário define regras para retorno de esporte recreativo em SC

Alesc aceita segundo pedido de impeachment de governador e vice

Movimento MP Mulheres SC lamenta “prática de fazer graça com a violência doméstica”

Grupo Pereira dobra as doações do tradicional Troco Solidário

CartonDruck doa mais de 1,3 milhão de copos descartáveis de papel para hospitais de Santa Catarina

A EFICÁCIA DA GRATIDÃO pela psicóloga Sandra Morais

Lei institui Delegacia Virtual da Mulher em Santa Catarina

Diário da Cidade

Produtor artesanal catarinense vai expandir o mercado para todo o território nacional

Cuidados simples evitam a entrada de escorpiões em casa

Diário da Cidade

Governo do Estado entrega nova frota de ônibus escolares

Governo realiza chamada de 36 engenheiros para a Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade

Santa Catarina passa a ter ligação aérea com Miami no transporte de cargas

Oi, este aviso é só pra te lembrar de CURTIR nossa FanPage no Facebook

Assim, você poderá estar cada vez mais atualizado das novidades de sua região!

CLOSE
%d blogueiros gostam disto: