Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
ENTRETENIMENTO

E quem não pode lavar as mãos?

Luiz Augusto Pereira de Almeida*

O novo coronavírus, além de provocar uma das mais graves crises enfrentadas pela humanidade em todos os tempos, está escancarando sérios problemas decorrentes da negligência de várias nações no tocante a prioridades ligadas à saúde e à qualidade da vida. O déficit verificado em indicadores referenciais de bem-estar está dificultando muito o combate à pandemia.

Exemplo contundente desses problemas encontra-se no Portal da ONU, em conteúdo relativo a estudo do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). Os dados são estarrecedores: 40% da população mundial, ou cerca de três bilhões de pessoas, não têm lavatório com água e sabão em casa. Nos países menos desenvolvidos, o problema afeta três quartos dos habitantes.

Além disso, 47% das escolas carecem de banheiro com água e sabão, afetando 900 milhões de crianças em idade escolar em todo o mundo, metade das existentes nas nações menos desenvolvidas. E, pasmem, o problema também ocorre em 16% dos estabelecimentos de saúde, ou cerca de um em cada seis, que não têm sanitários funcionais nos pontos de atendimento onde os pacientes são tratados. Ou seja, são bilhões de pessoas no Planeta alijadas do direito banal de lavar as mãos, medida mais eficaz para se evitar o contágio da Covid-19.

No Brasil, segundo o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), 83,5% da população, na média de todo o País, são servidos por rede de água, mas somente 52,4% contam com esgoto coletado, do qual apenas 46% são tratados. Os dados são atualíssimos, de fevereiro último. É preciso considerar, ainda, que, estatísticas à parte, há bolsões, tanto regionais, como nos próprios ambientes urbanos, nos quais o déficit de saneamento básico é bastante acentuado, muito acima da média nacional.

É o caso, por exemplo, de vários municípios do Norte e do Nordeste e das numerosas favelas urbanas existentes nas grandes cidades brasileiras. Conforme observa o próprio Unicef, “as pessoas que vivem nestes locais – a pior forma de assentamento informal – estão particularmente em risco. Como resultado, lavar as mãos torna-se ainda mais importante”.
Diante de tais dados, fica muito claro que o enfrentamento de crises globais ou locais, como a Covid-19, além da prioridade na solução imediata, a cargo da ciência e das políticas públicas de saúde, implica aprendizado para se evitar a perenidade dos problemas limitadores da qualidade da vida. Assim, para o Brasil e nações que ainda apresentam déficit de saneamento básico, transportes, moradias dignas, mobilidade urbana, serviços médico-hospitalares e educação de excelência, indicadores essenciais do desenvolvimento, é decisiva uma reação no sentido de reverter esse quadro.

A população mundial, segundo a ONU, deverá crescer em dois bilhões de pessoas nos próximos 30 anos, passando dos atuais 7,7 bilhões para 9,7 bilhões em 2050. Mais de sete bilhões estarão vivendo em áreas urbanas. Portanto, é preciso considerar que a crescente concentração demográfica nas cidades exigirá adequado planejamento para se fazer frente às demandas atuais e às que virão. Caso contrário, os problemas agora apontados pelo Unicef, bem como os de infraestrutura em geral, seguirão gerando ocupações irregulares e informais, agravarão as desigualdades, disseminarão violência e serão cada vez mais caldos de cultura de enfermidades.

Governos de todo o mundo não podem lavar as mãos diante de tão graves problemas. Afinal é decisivo que todos os habitantes do Planeta possam, literalmente, lavar as mãos como um gesto de preservação da vida!

*Luiz Augusto Pereira de Almeida é diretor da Sobloco Construtora e membro do Conselho Consultivo do SECOVI.

Posts Relacionados

COVID-19: “Os indígenas fazem parte do povo que o Estado deixa morrer”, diz especialista

diariodacidade

Carlos Dafé promove live solidária para ajudar artistas e moradores de rua

diariodacidade

Projeto Magic Drive-in estreia nesta sexta-feira, dia 10, com Independence Queen

diariodacidade

Motivação e autoestima em alta para o Enem

diariodacidade

John Mueller apresenta Canções e Influências em live show no dia 19 de julho

diariodacidade

De olho na retomada, Co.W. Coworking atualiza protocolos e modelo de negócio

diariodacidade

Livro de ficção narra romance durante os Jogos Olímpicos de 2020 sem a presença da COVID-19

diariodacidade

Busca por sorriso perfeito aumenta procura por odontologia estética em Camboriú

diariodacidade

Mostra Gastronômica Balneário Camboriú Convida à Mesa terá 24 restaurantes e opção delivery

diariodacidade

Vinhos que combinam com os sabores juninos

diariodacidade

Professor cria ação solidária para ajudar alunos da rede pública no Enem

diariodacidade

Nos 40 anos sem Vinicius de Moraes, obra do “Poetinha” é revisitada em três lives

diariodacidade

Prêmio Catarinense de Cinema 2020: inscrições abrem na segunda-feira

diariodacidade

Como frequentar a praia com segurança após a flexibilização da quarentena

diariodacidade

A era da selfie: preocupação com sorriso aumenta para sair “bem” na foto

diariodacidade

“Uber da lavagem” inicia operação em Balneário Camboriú

diariodacidade

Da vaquinha virtual à NASA Conheça a jovem que precisou de doações para estudar no exterior

diariodacidade

Decanter promove curso com degustação online de vinhos

diariodacidade

Dia de Combate à Homofobia: Especialista destaca conduta, crime e pena

diariodacidade

Karsten lança toalha com tecnologia pioneira Antimicrobiana

diariodacidade

Oi, este aviso é só pra te lembrar de CURTIR nossa FanPage no Facebook

Assim, você poderá estar cada vez mais atualizado das novidades de sua região!

CLOSE
%d blogueiros gostam disto: