Edgar pede luta por cinturão linear: “Conor está travando várias divisões”

193

Em dezembro do ano passado,Frankie Edgar nocauteou Chad Mendes na luta principal do TUF 22 Finale, levando o prêmio de “Performance da Noite”. No mesmo dia, o presidente do Ultimate, Dana White, prometeu a ele o posto de desafiante número um da divisão dos penas. Quatro meses depois, Frankie recebeu a notícia que enfrentariaJosé Aldo (e não o campeão Conor McGregor), em duelo que valerá o cinturão interino da divisão.

Apesar da chance de lutar no card histórico do UFC 200 e de se vingar de sua primeira e única derrota na divisão até 66 kg (Edgar perdeu para Aldo em fevereiro de 2013), “The Answer” não entende os motivos que levaram o Ultimate a criar um cinturão interino para a categoria:

– Eu não sei o que é. Ele traz grandes números e quando você faz isso, acho que tem um pouco mais de poder. O problema é que isso não está afetando apenas a ele, mas sim outras pessoas. Eu e Aldo estamos aqui lutando pelo cinturão interino, quando deveríamos lutar pelo título vago, que ele nunca vai voltar a defender. Os caras do peso-leve estão se perguntando o que ele tá fazendo, os caras no peso-meio-médio também querem saber o que ele está fazendo. Conor está travando várias divisões.

Durante o bate-papo, o americano disse entender o tratamento dado a McGregor pelo Ultimate, afirmou que o irlandês está se comportando como um bebê e analisou os pontos fortes de José Aldo e os desafios que o manauara trará para a revanche, no dia 9 de julho.

Confira a entrevista na íntegra:

Como recebeu a notícia que enfrentaria Aldo pelo título interino e não Conor McGregor pelo título linear?

Eu não sei como tudo aconteceu, parece que tudo virou uma grande bagunça. Dana me ligou há algumas semanas perguntando se eu queria enfrentar José Aldo pelo título interino no UFC 200 e, claro, eu aproveitei a oportunidade. Foi isso…mas aí quando cheguei a Vegas vi as redes sociais enlouquecidas com essa notícia (de que McGregor estava fora do card).

Lutar pelo título interino é algo que te incomoda?

Eles (UFC) me prometeram, por algumas vezes, coisas que não se concretizaram. Disseram que eu iria enfrentar Conor, e agora tenho que lutar pelo título interino. Só posso me preocupar com uma coisa por vez. Vou me certificar de que farei o meu trabalho no dia 9 de julho e, a partir daí, pensar no futuro. Não posso olhar para além disso agora. Sinceramente? Eu acho que nós deveríamos lutar pelo cinturão verdadeiro, porque não acho que Conor vá um dia voltar para o peso-pena. Não vejo nenhuma razão para continuar adiando o processo. Vamos lutar pelo título real logo…

Acha que o UFC deu muito poder a Conor?

Eu não sei o que é. Ele traz grandes números e quando você faz isso, acho que tem um pouco mais de poder. O problema é que isso não está afetando apenas a ele, mas sim as outras pessoas. Eu e Aldo estamos aqui lutando pelo cinturão interino, quando deveríamos lutar pelo título vago, que ele nunca vai voltar a defender. Os caras do peso-leve estão se perguntando o que ele tá fazendo, os caras no peso-meio-médio também querem saber o que ele está fazendo. Conor está travando várias divisões.

Você concorda com o comportamento dele?

Você precisa olhar para os dois lados, tento fazer as vezes de “advogado do diabo” de vez em quando. Eu entendo o lado do Conor por algumas coisas, mas em outras eu acho que ele está se comportando um pouco como um bebê.

Encarada José Aldo Frankie Edgar UFC 200 (Foto: Evelyn Rodrigues)Frankie Edgar elogiou José Aldo: “Ele provavelmente é o melhor peso-pena que o UFC já teve” (Foto: Evelyn Rodrigues)

Você e Aldo já se enfrentaram em 2013. Quão diferente você acha que essa luta vai ser da primeira?

A primeira luta foi há três anos, sou um lutador diferente, ele também. Aldo provavelmente é o melhor peso-pena que o UFC já teve e eu estou feliz em poder entrar lá e lutar pelo título interino, por ter essa chance de revanche para me aproximar ainda mais do título verdadeiro.

Quais os pontos mais fortes do Aldo? Que desafios ele traz para você?

Aldo é um dos caras mais rápidos e atléticos do esporte. É muito completo, difícil de levar para o chão e, claro, tem excelentes chutes. Você pode ficar falando dele o dia todo. É um atleta fenomenal. Eu só acho que chegou a minha vez.

Você já teve derrotas na sua carreira… Quão difícil é voltar a pisar no octógono depois de uma derrota? Acha que a derrota do Aldo para Conor McGregor pode afetá-lo mentalmente nesse retorno ao octógono?

Tenho certeza de que ele vai ter algumas dificuldades. Quando você é tão dominante por  tanto tempo e acaba derrotado daquele jeito, com um nocaute em 13 segundos, certamente terá alguns problemas de mentalidade. Vai depender de como ele irá reagir. Alguns caras conseguem lidar com isso de uma forma ótima, outros nem tanto, mas acho que só saberemos isso na noite da luta.

O que mudou no Frankie Edgar que enfrentou o José Aldo em 2013?

Eu venho de cinco vitórias seguidas, tenho o ímpeto do meu lado dessa vez. Tenho 34 anos de idade, estou maduro, confiante e sinto que estou melhor do que nunca, mas que ainda tenho para onde crescer. Estou empolgado.

O MMA finalmente foi legalizado em Nova York. Você é de lá. Gostaria de lutar no card do Madison Square Garden?

Claro que quero lutar no Madison Square Garden. Fui um dos primeiros caras a fazer lobby e a trabalhar com esses caras e estou feliz que finalmente se concretizou. Luto dia 9 de julho, o card lá é em novembro. O tempo é mais que perfeito. Adoraria fazer a luta principal daquele card e possivelmente enfrentar o McGregor. Vamos ver.

UFC 200
9 de julho de 2016, em Las Vegas (EUA)
CARD DO EVENTO (até agora):
Peso-meio-médio: Nate Diaz x adversário indefinido
Peso-pena: José Aldo x Frankie Edgar
Peso-galo: Miesha Tate x Amanda Nunes
Peso-pesado: Cain Velásquez x Travis Browne
Peso-meio-médio: Johny Hendricks x Kelvin Gastelum
Peso-galo: Cat Zingano x Julianna Peña
Peso-leve: Joe Lauzon x Diego Sanchez
Peso-leve: Takanori Gomi x Jim Miller
Peso-médio: Gegard Mousasi x Derek Brunson
Peso-leve: Sage Northcutt x Enrique Marin