Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
Noticia SC

Especialistas comentam as mudanças com o adiamento do calendário das eleições deste ano

Com o objetivo de preservar a segurança dos eleitores e todos os envolvidos, várias alterações foram aprovadas

Em razão da pandemia do novo coronavírus, o Congresso Nacional, por meio da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 18/2020, aprovou a mudança do calendário das eleições municipais de 2020. Com a alteração, as novas datas oficiais passam a ser 15 de novembro (1º turno) e 29 de novembro (2º turno) – o calendário original previa as datas de 04 e 25 de outubro. Por ser uma medida excepcional, a decisão só é aplicável este ano.

A aprovação da medida foi realizada com o objetivo de preservar a segurança dos eleitores e evitar a realização das eleições em um período em que ainda não existe consenso sobre as condições sanitárias. Mesmo com a definição destas novas datas, em municípios onde a crise de saúde ainda não esteja resolvida, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) poderá prorrogar o pleito ainda mais, até 27 de dezembro.

Especialista em Direito Constitucional e Eleitoral, o professor Acacio Miranda Filho considera oportuna a edição da PEC para garantir a segurança jurídica do processo democrático, uma vez que a manutenção das datas anteriores poderia ocasionar a elevação dos índices de abstenção, colocando em dúvida a representatividade dos eleitos. ” A decisão é fundamental, especialmente por conta da preocupação com a segurança dos eleitores e da preservação da lisura do processo eleitoral”, aponta Acácio.
Outras alterações, também no sentido de evitar ao máximo as aglomerações, são a autorização para partidos políticos realizarem convenções e reuniões virtualmente, para a definição e formalização de candidatos e coligações, o julgamento das prestações de contas somente em 2021 e o julgamento das ações eleitorais às vésperas do recesso de final de ano.
Sobre as propagandas eleitorais, o professor acredita que o espaço virtual ganhe ainda mais relevância, uma vez que as pessoas estarão pouco dispostas ao contato físico, em ações como carreata:

“É importante ressaltar que, pela primeira vez, teremos a criminalização da “boca de urna virtual”, que corresponde ao envio de cards nas 24 horas anteriores ao pleito”, informa.

Sócio do escritório Castro Oliveira Advogados e também especialista em Direito Eleitoral, José Manoel Viana de Castro Neto aponta que o TSE suspendeu os efeitos dos cancelamentos de títulos eleitorais. “Mas isso tem caráter temporário, apenas para permitir o voto de quem não conseguiu realizar a biometria. Logo após, se não for realizada a biometria pelo eleitor, o cancelamento do título deverá ser mantido”, alerta o advogado.

Além disso, José Manoel alerta que outros aspectos deverão ser alterados nestas eleições, por causa do momento atípico. “Deverão ser estabelecidos horários estendidos para a votação e também horários exclusivos para os eleitores que se enquadrem nos grupos de risco, sempre com o objetivo de evitar, ao máximo, qualquer tipo de aglomeração nas zonas eleitorais. Será um grande desafio”, finaliza o especialista.

PERFIL DAS FONTES

Acacio Miranda da Silva Filho é Doutorando em Direito Constitucional pelo IDP/DF. Mestre em Direito Penal Internacional pela Universidade de Granada/Espanha. Cursou pós-graduação lato sensu em Processo Penal na Escola Paulista da Magistratura e em Direito Penal na Escola Superior do Ministério Público de São Paulo. É especialista em Teoria do Delito na Universidade de Salamanca/Espanha, em Direito Penal Econômico na Universidade de Coimbra/IBCCRIM e em Direito Penal Econômico na Universidade Castilha – La Mancha/Espanha. Tem extensão em Ciências Criminais, ministrada pela Escola Alemã de Ciências criminais da Universidade de Gottingen, e em Direito Penal pela Universidade Pompeu Fabra.

José Manoel Viana de Castro Neto é bacharel em Direito pela Universidade Salvador – UNIFACS (2009). Pós-Graduado em Direito Processual Civil pela Fundação Faculdade de Direito da Bahia. Pós-Graduado em Direito Eleitoral pela Fundação César Montes – FUNDACEM/UNIBAHIA. MBA em Direito Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas – FGV. É sócio do escritório Castro Oliveira Advogados.

Posts Relacionados

Campanha “Você está de férias, mas o Coronavírus não!” busca sensibilizar visitantes da Costa Verde & Mar (SC)

De Vw Voyage a imóveis no litoral: veja os bens dos candidatos à prefeitura de Balneário Camboriú.

Diário da Cidade

Agência Nacional de Águas inclui Santa Catarina no projeto Monitor de Secas

História em quadrinhos valoriza cultura italiana do sul do Brasil

Prazo para inscrições no Programa de Pesquisa Universal termina dia 23 de setembro

Recicla Xanxerê coleta mais de 6 toneladas de produtos

Setembro amarelo e o tabu com o tema

Projeto de Dário torna inafiançável crime relacionado a pedofilia

Novo protocolo sanitário define regras para retorno de esporte recreativo em SC

Alesc aceita segundo pedido de impeachment de governador e vice

Movimento MP Mulheres SC lamenta “prática de fazer graça com a violência doméstica”

Grupo Pereira dobra as doações do tradicional Troco Solidário

CartonDruck doa mais de 1,3 milhão de copos descartáveis de papel para hospitais de Santa Catarina

A EFICÁCIA DA GRATIDÃO pela psicóloga Sandra Morais

Lei institui Delegacia Virtual da Mulher em Santa Catarina

Diário da Cidade

Produtor artesanal catarinense vai expandir o mercado para todo o território nacional

Cuidados simples evitam a entrada de escorpiões em casa

Diário da Cidade

Governo do Estado entrega nova frota de ônibus escolares

Governo realiza chamada de 36 engenheiros para a Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade

Santa Catarina passa a ter ligação aérea com Miami no transporte de cargas

Oi, este aviso é só pra te lembrar de CURTIR nossa FanPage no Facebook

Assim, você poderá estar cada vez mais atualizado das novidades de sua região!

CLOSE
%d blogueiros gostam disto: