Estreante em 2016 na elite mundial, Caio Ibelli chega ao Rio entre os melhores do mundo.

229

O otimismo estava presente em Caio Ibelli antes do início da temporada 2016 da Liga Mundial de Surf. Mas nem em seus melhores sonhos ele pensou que fecharia a perna australiana à frente dos já campeões Adriano de Souza, Gabriel Medina, Mick Fanning e Joel Parkinson.

Com três etapas já disputadas até o momento, Caio possui dois nonos e um quinto lugar como resultados, números que o deixaram em sexto lugar na corrida pelo título mundial, sendo o segundo brasileiro melhor posicionado, atrás apenas de Ítalo Ferreira, o terceiro.

“Foi espetacular, fiquei muito feliz com os desafios que tive e o rendimento que apresentei. Disputei baterias contra alguns dos melhores, como o Adriano, o Matt Wilkinson que é o líder atual, o John John, o Jordy Smith, e fiquei feliz pois dei o meu melhor”, destaca Caio, que ganhou em John John Florence um grande rival.

“Foram dois confrontos na terceira rodada em Bells e em Margaret e duas grandes baterias. Fiquei feliz em ter vencido elas, pois o John John é um dos grandes nomes da nova geração. Não foi fácil, foi pedreira e já entrou pra lista de grandes memórias deste ano de estreia. Mas o grande momento do ano para mim acho que será competir em casa”, conta Caio em relação ao Rio Pro, que acontece entre 10 e 21 de maio na Praia do Postinho, que fica na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

“Será minha primeira vez competindo no Brasil pela elite e nos últimos anos a quantidade de gente acompanhando o evento na praia aumentou muito. Sem contar que estarei com amigos e familiares por perto, o que não acontece muito nas outras etapas. Então dá aquele frio na barriga só de imaginar. Por isso estou treinando bastante para conseguir outro bom resultado e deixar a galera feliz na orla”, analisa o atleta que vive no Guarujá (SP).