Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
Noticia SC

Estudantes de Florianópolis participam de Olimpíada de universidade da Índia

Olimpíada Internacional Quanta Índia, organizada pela City Montessori School, tem 29 países participantes

Quatro estudantes do Ensino Médio do Colégio Salvatoriano Nossa Senhora de Fátima, de Florianópolis, participam em dezembro de uma competição internacional de conhecimentos organizada por uma universidade da Índia. A Olimpíada Internacional Quanta Índia, promovida pela City Montessori School, é realizada desde 1994 e já contou com a participação dos estudantes catarinenses em 2020. Desta vez, a equipe participa de quatro desafios: raciocínio lógico, atualidades, artes e competição surpresa.

Conhecer novas culturas, fazer amizades e ampliar conhecimentos para além das paredes da sala de aula são alguns dos benefícios de participar de uma olimpíada internacional, de acordo com Beatriz de Quadros Schmitt e Heloísa Jonck Hammes, ambas de 17 anos. As duas estão na equipe coordenada pelo professor Weber Campos de Souza, que conta ainda com Luiza de Quadros Schmitt,15, e José Antônio Becker Thomaz, 18.

Para o professor, eventos como esse têm muitas outras vantagens para os jovens. “Uma competição assim incentiva a preparação para grandes universidades e processos seletivos, desenvolve o trabalho em equipe, desperta o senso crítico, potencializa o raciocínio, a comunicação e a expressão dos estudantes, aprimora as técnicas das questões contextualizadas e valoriza a pesquisa como fonte de conhecimento”, enumera.

Na edição deste ano, são 29 países participantes, entre eles Alemanha, Indonésia, Paquistão, Estados Unidos, Canadá e a própria Índia. As perguntas são feitas em inglês e devem ser respondidas também em inglês, o que aumenta o desafio. Para Heloísa, no entanto, o mais complicado é mesmo responder de forma assertiva aos questionamentos feitos pelos organizadores. “As perguntas têm um nível de dificuldade bem mais alto do que as olimpíadas nacionais. Elas apresentam formas diferentes de interpretação das disciplinas que nós já conhecemos, então saber a resposta certa, com certeza, é a parte mais desafiadora”, avalia.

Memórias de edições anteriores

Experientes em olimpíadas, Heloísa e Beatriz já são veteranas também na Quanta Índia. Em 2020, elas fizeram parte da equipe que representou o colégio na competição – e guardaram lições valiosas para a edição deste ano. “O principal aprendizado é a importância de manter a calma e a confiança nas nossas próprias aptidões, porque somos plenamente capazes de competir com pessoas de todas as partes do mundo. E, acima de tudo, é fundamental se divertir durante todo o desafio”, afirma Beatriz.

Dentre os muitos momentos marcantes vivenciados no ano passado, a estudante destaca um instante que fortaleceu a união, o orgulho e a amizade. “A melhor lembrança que eu tenho foi ver uma colega participar da fase oral do teste de Matemática, demonstrando as nossas melhores qualidades para o mundo, marcando a nossa equipe como uma verdadeira força a ser reconhecida em âmbito mundial”, recorda.

Ensinar pela experiência

Parte de um projeto mais amplo do colégio, a Quanta Índia é a realização de um objetivo: ensinar por meio da vivência. “Estar em uma competição como essa dá a sensação de que o mundo é pequeno, porque encontramos estudantes do mundo inteiro. Essas vivências são fundamentais para o crescimento dos nossos alunos não apenas na carreira acadêmica, mas como seres humanos, diz Souza.

O professor explica que, depois de várias experiências em olimpíadas nacionais, ficou claro que esse tipo de iniciativa contribui de forma significativa para o aprendizado. “Participar de qualquer desafio olímpico do saber já é um ganho importante para a formação cognitiva, cidadã e empreendedora do estudante. A participação em olimpíadas internacionais, como a da Quanta, é uma conquista não só pelo prêmio e pelo reconhecimento, mas pelo amplo conhecimento científico de práticas que só enriquecem o currículo do estudante e dos professores.”

Para incentivar a preparação dos jovens durante todo o ano, o colégio criou o Grupo de Estudos Olímpicos, com ambientes de debate, pesquisas científicas e estratégias metodológicas para cada tipo de olimpíada. No caso da Quanta, os treinamentos começaram no início do ano, trabalhando assuntos relacionados à sustentabilidade, políticas internacionais e economia global. “A equipe formada pelos quatro estudantes precisa estar conectada o ano inteiro. Eles precisam conviver entre si, porque um depende da segurança do outro. Promovemos o diálogo, a valorização da opinião de cada um, a prática do inglês e atividades relacionadas ao raciocínio lógico”, detalha Souza.

A edição de 2021 da Quanta Índia está marcada para os dias 4, 10, 11 e 12 de dezembro, de forma on-line. Os estudantes do Colégio Salvatoriano Nossa Senhora de Fátima competem, sempre em duplas, nas seguintes modalidades: Raciocínio Lógico, Atualidades, Artes e Competição Surpresa. Todos os participantes recebem medalhas de honra ao mérito e os vencedores também participam de divulgações internacionais da competição.

________________________

Sobre o Sistema Positivo de Ensino

É o maior sistema voltado ao ensino particular no Brasil. Com um projeto sempre atual e inovador, ele oferece às escolas particulares diversos recursos que abrangem alunos, professores, gestores e também a família do aluno com conteúdo diferenciado. Para os estudantes, são ofertadas atividades integradas entre o livro didático e plataformas educacionais que o auxiliam na aprendizagem. Os professores recebem propostas de trabalho pedagógico focadas em diversos componentes, enquanto os gestores recebem recursos de apoio para a administração escolar, incluindo cursos e ferramentas que abordam temas voltados às áreas de pedagogia, marketing, finanças e questões jurídicas. A família participa do processo de aprendizagem do aluno recebendo conteúdo específico, que contempla revistas e webconferências voltadas à educação.

Posts Relacionados

De 25 para 130 colaboradores: empresa de Blumenau cresce apostando no desenvolvimento de apps

Justiça inocenta empresários catarinenses acusados como devedores contumazes por não recolher ICMS

Balneabilidade: índice de pontos próprios para banho no estado sobe para 65,3%

Diário da Cidade

Fort Atacadista abre operação temporária no Sul da Ilha, em Florianópolis

Sicoob libera transferências via WhatsApp

Sala do Empreendedor de Marema alerta MEIs sobre Declaração Anual

Startup catarinense oferece R$ 20 milhões em crédito para condomínios realizarem melhorias

TRT-SC retoma atividades presenciais a partir de sexta-feira (21)

Aresc intensifica fiscalização de transportes fretados em regiões litorâneas de Santa Catarina

Estudantes do Colégio Bom Jesus de Itajaí (SC) criam detergente de louças biodegradável

Como evitar golpes e fraudes relacionados ao IPVA 2022

Grupo Allog completa 20 anos e anuncia expansão de novas unidades no país e exterior

HDI Seguros abre inscrições para programa de estágio em Itajaí e Blumenau

Ouvidoria do TRT-SC passa a atender também por WhatsApp

Taxa Selic: especialista comenta projeções para 2022 e mostra como planejar as finanças para o futuro

Brusque FC renova contrato com a Fibra Fisio para fisioterapia e reabilitação esportiva de atletas

99 reduz 62% das ocorrências contra motoristas da plataforma em Santa Catarina

Maior prédio de Joinville terá 30 andares e vista para a Baía da Babitonga

Energia solar passa a ter lei própria de geração distribuída

Governador Carlos Moisés testa positivo para Covid-19 e cancela vinda a Camboriú