Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
DESTAQUES

ETE de São Francisco do Sul é apresentada ao público em inauguração exclusivamente onlineETE de São Francisco do Sul é apresentada ao público em inauguração exclusivamente online

Cidade do Litoral Norte de Santa Catarina passa a ter um novo patamar de cuidados com a qualidade de vida e preservação ambiental

Os serviços de tratamento de esgotos levam à melhoria da qualidade de vida das pessoas, à expansão do turismo, à valorização dos imóveis, à despoluição do mar e rios e à preservação dos recursos hídricos. O despejo de esgotos sem o devido tratamento no meio ambiente implica na perda da qualidade de vida, problemas de saúde e a dificuldade de usufruir de um espaço comum com qualidade. São Francisco do Sul ganha às 9h desta terça-feira, 16 de junho, sua primeira Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) em uma inauguração exclusivamente online e sem a presença de público no local. O evento terá transmissão pelo Youtube, em um formato inédito para este tipo de obra em Santa Catarina.

No Estado, 76,3% da população não tem acesso à coleta e tratamento de esgoto, segundo dados do Painel do Saneamento Básico no Brasil, do Instituto Trata Brasil. A estrutura é fundamental para remover os poluentes da água previamente usada pela comunidade, de forma a devolvê-la aos mananciais hídricos de acordo com os parâmetros exigidos pelos órgãos ambientais. A ETE Ubatuba é uma das obras mais aguardadas da cidade, onde, até então, a solução para o esgoto era a utilização de fossas/filtro, pouco adequadas para uma baía com adensamento populacional.

De acordo com a professora doutora, Bianca Goulart de Oliveira Maia, coordenadora do Curso de Engenharia Ambiental e Sanitária da Univille, diversas doenças são evitadas quando se investe em saneamento básico, como cólera, hepatite A, diarreia e verminoses. “Até mesmo o novo coronavírus já foi detectado no esgoto, apesar de ainda não sabermos como ele se comporta na água”, enfatiza.

Conforme Bianca, coletar e tratar esgotos evita que a população fique exposta a todas essas doenças, além de valorizar o dinheiro público, pois a cada R$ 1 investido em saneamento básico, se economiza R$ 4 no sistema de saúde, conforme dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). “Portanto, tratar esgoto é, antes de qualquer coisa, cuidar da saúde das pessoas e do meio ambiente”, enfatiza a professora universitária.

Novo patamar de cuidado

No país, dos 5.470 municípios, 74 têm entre 50 e 60 mil habitantes. Destes, 28 não possui qualquer tipo de sistema de coleta e tratamento de esgoto e 15 municípios têm entre 1,7% e 20%. Diante desta realidade, São Francisco do Sul passa a ter um novo patamar de cuidados com a qualidade de vida e preservação ambiental. Bianca lembra que, a partir do momento que usamos um banheiro ou abrimos uma torneira, já estamos gerando esgoto. “O cálculo inclusive é bem simples: 80% da água consumida em uma residência se transforma em esgoto. E para onde vai todo esse esgoto? Para a natureza para o solo, rios e mares, ou seja retorna para nós, já que nossos recursos se originam nessas fontes. Por isso é essencial fazer o tratamento desse esgoto”, acrescenta.

A professora da Univille destaca ainda que existem diferentes sistemas e tecnologias para tratamento do esgoto doméstico, que variam basicamente em função da área disponível e dos recursos empregados. Ela destaca, no entanto, que o Sistema SBR empregado na ETE Ubatuba é um dos mais modernos consolidados no Brasil. Trata-se do mesmo sistema empregado no Perini Business Park, complexo empresarial em Joinville, por exemplo. “Ele é do tipo aeróbio (com a utilização de oxigênio), em que o esgoto tratado apresenta elevada qualidade final. As principais vantagens estão no fato de requerer áreas pequenas de instalação e automatização e, quando operado corretamente, não gera odores desagradáveis, que é o que preocupa tanto a população”, lembra. “Como francisquense que sou, fico muito feliz de ver que, finalmente, São Francisco do Sul terá acesso a esse serviço tão essencial e primário. A partir desse ponto podemos falar, de fato, em desenvolvimento”, diz a professora.

A concessionária é uma empresa do Grupo AEGEA que, em Santa Catarina, detém também as concessões das Águas de Penha, Águas de Camboriú e Águas de Bombinhas.

Posts Relacionados

Advogadas comandam, em março, a associação dos advogados criminalistas em SC

Diário da Cidade

Primeiro aplicativo exclusivo para UTI é desenvolvido por médica brasileira da linha de frente do Coronavírus

Diário da Cidade

Galderma apresenta campanha ‘Beleza tem História’ e destaca as múltiplas formas de ser mulher

Diário da Cidade

Balneário Shopping recebe público feminino com concerto especial e outras surpresas no Dia Internacional da Mulher

Fundação Pró-Rim realiza ações no Dia Mundial do Rim 2021 de forma online

Diário da Cidade

A força feminina na construção civil

Diário da Cidade

Unicred União faz doação para Rede Feminina

Diário da Cidade

Saiba quais serviços não podem funcionar neste segundo final de semana de lockdown em SC

Mulher de 62 anos morre de coronavírus em Camboriú

Dia Internacional da Mulher: temos motivos para comemorar?

Balneário Camboriú confirma 87 positivos e 1 óbito por Covid em 24 horas

Camboriú registra 2 mortes por Covid nesta quarta-feira (03)

BC Vagas: 87 vagas de emprego abertas em Balneário Camboriú e região

Santa Catarina recebeu mais 91,2 mil doses da vacina Coronavac

IFC Camboriú está com as inscrições abertas para curso gratuito de Cuidador do idosos

Inscrição e atualização no CPF podem ser feitas nos Correios

Balneário Camboriú confirma 153 positivos e 3 óbitos por Covid em 24 horas

Santa Catarina tem mais de quatro mil vagas de emprego no Sine

Trânsito na Alvin Bauer será fechado nesta quarta-feira

Não há mais vagas de UTI para Covid em Balneário Camboriú

Diário da Cidade
%d blogueiros gostam disto: