Festival de Teatro de Itajaí encerra neste domingo (12)

Espetáculo “Nós”, do Grupo Galpão (MG), é a atração final da programação

O 6º Festival Brasileiro de Teatro Toni Cunha entra na reta final após 10 dias de programação intensa. Com peças lotadas e a participação de artistas de renome, o evento encerra neste domingo (12) com o espetáculo “Nós”, do Grupo Galpão (MG), um dos mais respeitados do país. O elenco ainda participa de uma roda de conversa com artistas locais.

Com 37 anos de história, o grupo mineiro é um dos que mais circula pelo país e conta com patrocínio das Petrobras. No Festival de Teatro de Itajaí, apresenta uma peça que debate questões atuais, como violência e intolerância, a partir de uma dimensão política. Enquanto preparam a última sopa, sete pessoas partilham angústias, algumas esperanças e muitos nós. A plateia também é convidada a presenciar situações de opressão e de convívio com a diferença.

O espetáculo tem direção de Marcio Abreu e ocorre no Teatro Municipal, às 20h do domingo (12). Os ingressos custam R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia) e estão à venda no site Ingresso Nacional ou na bilheteria do teatro.

Experiência no palco

Teuda Bara é uma das figuras interessantes do elenco do Grupo Galpão. Aos 78 anos, esbanja simpatia, vitalidade e amor pelo teatro. Atriz e fundadora do grupo, Teuda atuou na maior parte dos espetáculos do Galpão. No início dos anos 2000, chegou a morar no exterior, a convite do renomado diretor Robert Lepage, para participar do espetáculo “K.Á.”, do Cirque Du Soleil.

A atriz conta que está feliz em retornar para Itajaí e reencontrar um público acolhedor. De acordo com ela, a realização de um festival é sempre muito importante para a cidade. “O festival traz cultura de várias regiões, artistas de todo país, discute problemas do teatro e é um incentivo. É um ato de resiliência e resistência. Estamos muito orgulhosos de participar do evento”, destaca.

Sobre o espetáculo “Nós”, Teuda relata que o público vai encontrar uma peça moderna e política, onde cada ator faz seu manifestado do que está incomodando atualmente. “O meu manifesto eu fiz na época da tragédia de Mariana, da mineração, do desrespeito, de acabar com os rios e infelizmente aconteceu de novo”, conta.

> Veja a cobertura fotográfica do festival

Além do teatro, Teuda já participou de filmes no cinema e atuou em filmes como “O Palhaço”, de Selton Mello, “La Playa D.C”, dirigida por Juan Andrés Arango, e “As Duas Irenes”, de Fábio Meira. Na televisão destacam-se suas participações na novela “Meu Pedacinho de Chão” e na série “A Vila”. Mesmo com tantas experiências em várias áreas, ela destaca sua paixão pelo teatro e diz que não pensa em parar de atuar.

“Teatro é uma emoção que começa e termina, já no cinema e TV é tudo picadinho, você vê aos poucos. Acho que o teatro tem que falar mesmo, é um momento em que não dá pra ficar em cima do muro politicamente, tem tanta coisa errada, e o teatro é a verdade”, comenta a atriz.