Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
Noticia BR

Indústria elétrica e eletrônica cresce 22% no começo de 2021, segundo ABINEE

Apesar de os dados comparativos de 2020 não serem muito consistentes devido às dificuldades da crise sanitária, o cenário foi positivo para o setor.

Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (ABINEE) observou o crescimento do setor no primeiro semestre de 2021. Nesta análise, foi feita uma comparação entre um período deste ano e o mesmo do ano anterior.

 

Como 2020 foi um ano muito impactado pela pandemia, a pesquisa incluiu também o ano de 2019. Em linhas gerais, os resultados foram bastante positivos para os dois setores, por isso foi possível para as lojas e revendedores entregar aos consumidores eletrodomésticos com desconto.

 

Conforme a ABINEE, “apesar da melhora da atividade econômica em relação a abril e maio do ano passado, a produção ainda estava sofrendo impacto das medidas restritivas decorrentes da pandemia de Covid-19.” Por isso, a base de comparação foi considerada fraca.

Junho 2020 x junho 2021

Em comparação a maio de 2021, a produção da indústria eletrônica e elétrica recuou 0,4%. Apesar disso, ao ser feita a comparação com junho de 2020, houve crescimento de 10,4%. Como no ano anterior o setor sofria com o impacto das medidas restritivas, os resultados foram comparados também com 2019. Na análise com o ano pré-pandemia, o crescimento do setor é de 6,1%.

 

Ao separar os setores eletrônico e elétrico, o primeiro teve 13,5% de aumento, resultado da produção crescente de bens de informática. Por outro lado, a área elétrica expandiu 7,7%.

 

 

Acumulado do semestre

Conforme a ABINEE, “no acumulado de janeiro a junho de 2021, a produção industrial do setor eletroeletrônico cresceu 20,2% em relação ao igual período de 2020”. Ao fazer a comparação com 2019, o saldo também foi positivo, 2,5% a mais em comparação ao primeiro semestre daquele ano.

 

Em análise separada dos setores, a área elétrica teve elevação de 24,2% e a eletrônica de 15,7%. Os eletrodomésticos, pilhas, baterias, geradores e equipamentos de iluminação contribuíram com o crescimento da primeira área.

O que a indústria eletrônica produziu mais

Para facilitar o entendimento do quanto cresceu os setores eletrônico e elétrico no primeiro semestre de 2021, a ABINEE desenvolveu uma tabela, citando os principais produtos responsáveis por este resultado positivo.

 

Na área eletrônica, em junho de 2021, foram produzidos mais componentes de informática e periféricos. O aumento foi de 4,4% em comparação com maio deste mesmo ano.

 

Na comparação junho 2021 x junho 2020, este valor pula para 91%. No semestre, fica em 53,1%, e o acumulado dos últimos doze meses em 25%.

O que a indústria elétrica mais produziu

Na indústria elétrica, a tabela mostra que em junho de 2021, analisado em relação ao mês anterior, os equipamentos e aparelhos elétricos não especificados são responsáveis por 13,5% do crescimento. Em seguida estão os equipamentos para distribuição e controle de energia elétrica, com 5,1% de aumento.

 

Quando observados junho de 2020 e junho de 2021, o saldo positivo é de 21,3% nos equipamentos não especificados e queda de 1,5% nos equipamentos para distribuição e controle de energia elétrica. Na análise do primeiro semestre, 17,6% e 5,4% de aumento. Já o acumulado dos últimos doze meses ficou em 5,9% e 1,9%.

Indústria geral x indústria eletroeletrônica

A pesquisa também apresentou dados sobre a Indústria Geral. Segundo a ABINEE, “a produção da indústria geral ficou estável (0%) no mês de junho de 2021 em relação ao mês imediatamente anterior, com ajuste sazonal.” Além disso, “em comparação com junho de 2020, a produção da indústria geral cresceu 12,0%, resultado também superior ao acréscimo de 10,4% observado pelo setor eletroeletrônico.”

 

Na tabela, é possível perceber que a Indústria de transformação, seguida da eletroeletrônica, foram as que tiveram maior crescimento em comparação com junho de 2020 ou com o primeiro semestre no ano anterior. Para conhecer todas as informações obtidas por meio desta pesquisa, inclusive suas tabelas, basta visitar o site da ABINEE.

 

Posts Relacionados

Aumento do desemprego, queda do poder de compra e a recuperação do orçamento familiar preocupam na região Sul

Maior evento de geotecnologia acontece esse mês e mostra quem está na liderança da transformação no país

Vida de 35 milhões de brasileiros está em risco por falta de saneamento básico

Setembro Amarelo: ansiedade e estresse deixam trânsito brasileiro mais violento

Diário da Cidade

‘Golpe da novinha’, a nova modalidade de cibercrime no Brasil

Familiares e infectados pela Covid-19 têm direito a benefícios do INSS

Pela primeira vez, aplicativo de comida brasileiro atenderá uruguaios na fronteira

Mandar prints de conversas do WhatsApp pode gerar indenização

Agosto encerra com a média da gasolina próxima dos R$ 6 na Região Sul, aponta Ticket Log

Venda de passagens rodoviárias dobra no feriado de 7 de setembro

“Passaporte da vacina está em conformidade com a Constituição Federal e não há impedimento à sua aplicação”

Federação Nacional das Empresas de Rádio e Televisão (FENAERT) repudia o ataque feito à imprensa nesta quarta-feira (08/09)

Mitos e verdades sobre a mamografia

Estes são os top 10 países mais felizes do mundo

Dia mundial de Duchenne: PTC apoia campanha “Esse menino sou eu” para conscientização sobre doença rara

Tecnologia brasileira para transporte público sustentável é destaque em evento internacional

Diário da Cidade

PT perde ação de dano moral contra Luciano Hang

Diário da Cidade

CBF anuncia Kwai como novo patrocinador das seleções femininas e masculinas

PL quer restringir direito de dirigir a agressores de mulheres

Correios, Viracopos e Receita Federal iniciam projeto para embarque de carga internacional