Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
DESTAQUES

Justiça Federal suspende decisão que colocava em risco agricultura de SC

Um alívio temporário para os produtores, na opinião da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (FAESC). O desembargador federal Victor Luiz dos Santos Laus, presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), suspendeu a sentença proferida no âmbito da Ação Civil Pública ajuizada pelo Ministério Público Federal (MPF) e pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC).

Essa ação determinava que os órgãos ambientais – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e Instituto do Meio Ambiente de SC (IMA) – não observassem o regime jurídico de áreas consolidadas previsto no Código Florestal e no Código Estadual do Meio Ambiente, mas sim o marco previsto em um decreto de 1990, supostamente acolhido pela Lei da Mata Atlântica.

O assessor jurídico da FAESC Clemerson Pedrozo observa que ainda não houve decisão de mérito, mas o despacho do desembargador federal livra da paralisação das atividades quase 200 mil propriedades rurais. A concessão da suspensão da sentença tranquiliza a agricultura de Santa Catarina.

O despacho atendeu ao pedido de suspensão de sentença ajuizado pela Procuradoria-Geral do Estado (PGE/SC) no começo da semana passada.

No documento, o magistrado afirma que o cumprimento da sentença demandaria “recursos humanos, tecnológicos e financeiros” pelo fato de “quase a totalidade do Estado de Santa Catarina” ser abrangida pelo bioma Mata Atlântica – o que causaria interferência na ordem administrativa. Do ponto de vista econômico, o desembargador federal manifestou preocupação com o impacto nas atividades rurais, pois a partir do momento em que os Cadastros Ambientais Rurais (CARs) não estiverem mais homologados, os produtores rurais perderiam acesso às linhas de crédito.

Expôs o desembargador na decisão que “caso implementada a deliberação, a produção agrícola também será afetada, atingindo-se, sobremaneira, as pequenas propriedades. Neste andar, considerando a demonstração de risco de grave dano à economia pública e à ordem administrativa, merece guarida o pleito ora deduzido pelo Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina”.

Posts Relacionados

Projeto Oficinas abre inscrições para o segundo semestre

Mais transparência: Projeto de Lei pede “QR Code” em placas de obras públicas

Diário da Cidade

SUS disponibiliza nova opção de tratamento para hemofilia A

Diário da Cidade

Rota Delícias de Arvoredo comemora dois anos de atividades

Diário da Cidade

Grupo Koch inaugura loja do Komprão Koch Atacadista em Balneário Camboriú

Diário da Cidade

Defesa civil passa a fazer parte do currículo do ensino fundamental

Diário da Cidade

Mar de Cervejas traz universo cervejeiro com entrada gratuita no Itajaí Shopping

Diário da Cidade

Dia da Amizade: Aussie Grill lança promo para fortalecer aquela parceria monstra

Balneário Camboriú registrou 2ºC nesta sexta-feira, frio intenso deve persistir até sábado (31)

Festival de Teatro BCemCena recebe ataques racistas e homofóbicos

Machistas não aceitam fora e ameaçam mulher na Av. Atlântica

Profissionais de saúde são homenageados com voo de balão em Balneário Camboriú

População sintomática da Covid-19 será atendida no UPA das Nações e no PA da Barra

Joalheria é assaltada no Balneário Shopping

BC amplia vacinação contra Covid-19 para pessoas com 35+ e trabalhadores da indústria com 34+ na quarta

SINE de Camboriú divulga 219 vagas de emprego

Compra online é a atividade que mais oferece riscos à privacidade do consumidor

Banda catarinense entra em última semana de crowdfunding. Participe!

Fort Atacadista apoia mutirão de limpeza em praia de Bombinhas, no sábado (31)

Vitaminas aumentam as defesas contra gripes e resfriados

Diário da Cidade