Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
DESTAQUES

Lei prevê multa de até R$ 20 mil para quem pratica maus-tratos contra animais em SC

Foto: Jaqueline Noceti / Arquivo / Secom

Uma lei sancionada pelo governador Carlos Moisés nesta segunda-feira, 17, aumenta a multa para quem comete crueldade contra animais e inclui a proibição de rinhas de galos e de cães, abandono e prática de zoofilia no Código Estadual de Proteção aos Animais.

A multa para infrações graves, que era de R$ 500 a R$ 1 mil, passa a ser de R$ 10 mil a R$ 12 mil. Já as infrações consideradas gravíssimas, que poderiam resultar em multas de R$ 1 mil a R$ 2 mil, agora custarão de R$ 12 mil a R$ 20 mil. A iniciativa atualizou os valores da punição, que foram criados em 2003.

“Toda política pública para proteger os animais do sofrimento é bem-vinda. Precisamos combater práticas antigas, como as rinhas, que colocam a vida do animal em risco”, afirmou o governador.

O projeto de lei é de autoria do deputado Marcius Machado. Com a alteração do Código de Proteção aos Animais, os crimes como rinhas, abandono de animais e zoofilia (prática sexual de humanos com animais) passam a ganhar mais visibilidade na legislação estadual, sem abrir brecha para contestações.

As infrações são classificadas como leves, graves e gravíssimas. Nos dois últimos casos, será verificado se há agravantes como reincidência, obtenção de vantagem econômica e consequências à saúde e ao bem-estar animal.

Rinha: multa para todos os envolvidos

No caso das lutas de cães e de galos, o texto prevê que as multas sejam estendidas a todos os participantes envolvidos no evento, como organizadores, proprietários do local, criadores, adestradores e comerciantes dos animais, assim como apostadores e espectadores.

Crimes contra os animais também estão previstos na legislação federal (Lei Nº 9.605/1998). A pena é de detenção, de três meses a um ano, para quem abusar, maltratar, ferir ou  mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos. Quando se tratar de cão ou gato, a pena será de reclusão de dois a cinco anos, multa e proibição da guarda.

Posts Relacionados

Balneário Camboriú registrou 60 novos casos de Covid-19 neste final de semana

SIME de Balneário Camboriú divulga 109 vagas de emprego disponíveis

Reunião pública com Arteris Litoral Sul acontece no dia 24 de junho

Prova de vida pode ser feita sem sair de casa

Campanha do Agasalho segue com 28 pontos de coleta em Camboriú

The Legends encerra circuito 2020 e define campeões!

Balneário Camboriú e Tijucas estão entre as 10 cidades com mais atendimentos da sala do empreendedor no país

Vacinação contra Covid-19 em pessoas com 55+ neste sábado

Aves silvestres mantidas em cativeiro são apreendidas em Balneário Camboriú

Pesquisa Covid-19: mais da metade dos Municípios deram início à vacinação por faixa etária

Semasa vai reforçar fiscalização das ligações de esgoto

Na Semana do Meio Ambiente, projeto Limpeza dos Mares volta à ativa com o patrocínio do Fort Atacadista

Dia Mundial de Tricotar em Público é celebrado com ação digital e incentivo à solidariedade

Atletismo de Balneário Camboriú disputa Troféu Brasil

Balneário Camboriú registrou 80 novos casos de Covid-19 nesta quarta

Grac avalia decretar situação de emergência em Camboriú

SC Mais Renda: saiba se você tem direito e como fazer o cadastro para receber o auxílio emergencial

Defesa Civil de SC alerta para risco de temporais nesta quinta-feira (10)

Vacinação em SC: Estado vai distribuir mais de 230 mil doses de vacina contra a Covid-19 nesta quinta

Saiba como está a situação do trânsito em Camboriú