Ministério da Saúde aprova projeto de Balneário Piçarras para ações de fomento à saúde da mulher

O Ministério da Saúde aprovou projeto da Secretaria de Saúde de Balneário Piçarras voltado à melhoria do acesso à saúde da mulher. O município será contemplado com R$ 100 mil para desenvolver ações estratégicas de anticoncepção e tratamento de doenças ginecológicas em mulher com maior vulnerabilidade. O projeto é batizado como “Coisas de Mulher.

“Vamos seguir um protocolo internacional que norteia quais mulheres se enquadram nesta categoria. Firmamos parceria com o Bayer do Brasil e que específica o público para cada ação do programa”, explicou a enfermeira da Educação Permanente em Saúde da Secretaria, Ivia Rodrigues – também coordenadora do projeto. O programa consiste em atividades educativas, de aconselhamento, de atividades clínicas e de melhoria do acesso.

“Uma das ações consiste em ressaltar como o método do DIU é seguro. Hoje, nós já fizemos a aplicação do DIU de Cobre, mas com o projeto, vamos ampliar o método com o DIU Hormonal”, completou Ivia, reforçando que o foco é ampliar a oferta de métodos contraceptivos às mulheres. “Baseado no protocolo, com evidência. O público atingido é aquele que realmente faz necessidade”, completou.

A coordenadora da Atenção Básica da Saúde, Carolina Genovezzi, detalhou ainda que o “Coisas de Mulheres” tem como objetivos diminuir a taxa de gestantes menores de 19 anos em 60%, contratação de mais ginecologistas, aquisição de modernos métodos contraceptivos (voltados a mulheres com indicações especiais por conta da saúde mental ou interações médicas) e também capacitar os profissionais da própria Secretaria.

“Além de controlarmos a natalidade, prevenimos uma série de doenças sexualmente transmissíveis e elevamos a conscientização do público feminino a respeito deste tema. É um projeto que certamente colherá frutos em gerações”, categorizou Carolina. A expectativa é de que a partir de fevereiro o projeto comece a ser colocado em prática, com a qualificação dos profissionais.
O projeto da Atenção Básica foi cadastrado na categoria de município de pequeno/médio porte – com até 100 mil habitantes. “Obtivemos a décima colocação no Brasil, diante de centena de municípios, o que denota a riqueza do projeto e sua real abrangência diante de um público de vulnerabilidade”, encerrou a secretária de Saúde, Bruna Emanuela Machado.