Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
Noticia SC

Movimento MP Mulheres SC lamenta “prática de fazer graça com a violência doméstica”

Mais de 80 procuradoras e promotoras que atuam em Santa Catarina assinam a nota “Violência não tem graça”

Em nota divulgada nesta quarta-feira (2), o movimento MP Mulheres SC, composto por mais de 80 promotoras e procuradoras do Ministério Público, lamenta “a prática de fazer graça com a violência doméstica em opiniões veiculadas em ambiente virtual”.

Na nota “Violência não tem graça” as promotoras e procuradoras do MPF, do MPSC, do MP de Contas (MPC) e do MPT de todo o estado, esclarecem que a sociedade se disciplina através da linguagem e que as ideias que se proliferam indefinidamente, em especial nos meios virtuais, acabam por moldar a realidade. “Portanto, uma piada não é apenas uma piada, é a disseminação de uma forma de ver o mundo que se perpetuará e influenciará uma maior escala de comportamentos, quanto maior prestígio social ou institucional o emissor detiver.”

As membras dos MPs em Santa Catarina reconhecem que o humor é construído a partir de uma visão crítica do mundo e do comportamento humano. “Além de ser marcado pela descontração, o humor vale-se do exagero, da hipérbole, do óbvio e do absurdo para provocar o riso ou, ao menos, um sorriso. Mas não tem graça se esse humor está calcado em uma reiterada prática de abusos físicos e psicológicos em que um dos envolvidos acaba chorando, encurralado, desalentado, lesionado ou morto. Somos a sociedade do discurso e, ao banalizarmos a violência doméstica ou usarmos dela como meio de provocar riso transmitimos ideias, valores e comportamentos, mesmo que disfarçados no humor.”

O MP Mulheres SC afirma que não se furtará dessa discussão e que, “reiterando o seu objetivo de promover a igualdade de gênero e a valorização das mulheres dentro e fora das carreiras jurídicas, permanecerá atento às condutas e discursos dessa natureza e solidário a todas as mulheres, tendo sempre em vista que a não violência é uma mudança de atitude ética e consistente, para que não sejamos nós mantenedores e perpetuadores da violência”.

 

Posts Relacionados

Agência Nacional de Águas inclui Santa Catarina no projeto Monitor de Secas

História em quadrinhos valoriza cultura italiana do sul do Brasil

Prazo para inscrições no Programa de Pesquisa Universal termina dia 23 de setembro

Recicla Xanxerê coleta mais de 6 toneladas de produtos

Setembro amarelo e o tabu com o tema

Projeto de Dário torna inafiançável crime relacionado a pedofilia

Novo protocolo sanitário define regras para retorno de esporte recreativo em SC

Alesc aceita segundo pedido de impeachment de governador e vice

Grupo Pereira dobra as doações do tradicional Troco Solidário

CartonDruck doa mais de 1,3 milhão de copos descartáveis de papel para hospitais de Santa Catarina

A EFICÁCIA DA GRATIDÃO pela psicóloga Sandra Morais

Lei institui Delegacia Virtual da Mulher em Santa Catarina

Diário da Cidade

Produtor artesanal catarinense vai expandir o mercado para todo o território nacional

Cuidados simples evitam a entrada de escorpiões em casa

Diário da Cidade

Governo do Estado entrega nova frota de ônibus escolares

Governo realiza chamada de 36 engenheiros para a Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade

Santa Catarina passa a ter ligação aérea com Miami no transporte de cargas

Caixa credita hoje saque emergencial do FGTS para nascidos em junho

Contratação de 350 temporários para a transformação digital é inconstitucional, diz ANATI

Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) aponta que Santa Catarina já desenvolveu 90 projetos

Diário da Cidade

Oi, este aviso é só pra te lembrar de CURTIR nossa FanPage no Facebook

Assim, você poderá estar cada vez mais atualizado das novidades de sua região!

CLOSE
%d blogueiros gostam disto: