Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
Noticia BR

O impacto da Covid-19 no mercado de energia solar

Projeção de crescimento do setor em 2020 era de 260% antes do avanço da pandemia no Brasil

O setor de energia fotovoltaica teve uma parada abrupta em decorrência do avanço da Covid-19 pelo mundo, afetando a importação, a distribuição e a consequente expansão do mercado. Antes da pandemia, era esperado para este ano um crescimento de 260% na geração solar fotovoltaica distribuída no Brasil em comparação ao volume anual de 2019. Os dados são da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (ABSOLAR), que também estimava a geração de mais de 120 mil empregos no mesmo período, além de novos investimentos privados que poderiam ultrapassar a cifra de R$ 19,7 bilhões.

De acordo com Alex Magno, CEO da We Brazil Energy, rede de franquias especializada em importação e distribuição de equipamentos fotovoltaicos, todos os setores estão passando por dificuldades e o de energia fotovoltaica não é diferente, contudo sua empresa tem na criatividade sua principal aliada: “nós tínhamos uma vasta programação estabelecida com algumas fábricas quando tudo isso começou. Fomos então para home office e passamos a investir ainda mais no marketing com toda a equipe comercial focada em vendas futuras, dando condições especiais a nossos clientes e parceiros. Estamos também negociando junto aos nossos fornecedores para melhores condições de pagamento, além de desenvolver e incrementar ferramentas tecnológicas para assistência à distância aos franqueados”, ressalta.

Segundo Magno, as fábricas chinesas já têm disponibilidade de embarque, mas ainda não na velocidade que ofereciam anteriormente. “Algumas fábricas estão 95% automatizadas na produção. A retomada então é mais rápida. O que pode afetar a decisão de novos pedidos, além da disponibilidade das fábricas, é a disparada do dólar globalmente em reação aos efeitos da crise do vírus e da queda de preço do petróleo. Com isso, o preço dos equipamentos fotovoltaicos pode aumentar ou, ao menos, não sofrer a forte desaceleração prevista anteriormente”.

O gerente de engenharia da We Brazil Energy, Sílvio Carnieri, explica que o mercado de energia fotovoltaica é totalmente dependente da China, mesmo que existam fabricantes também no Brasil, nos Estados Unidos e na Alemanha. “Para que as vendas sejam viáveis e vantajosas, os custos precisam ser equilibrados. O custo da produção nacional, por exemplo, chega a ser 25% superior ao importado. Alemanha e EUA, dentre outros, poderiam suprir essa demanda, mas o custo se torna inviável para o mercado ainda mais com a alta do dólar”.

Mesmo com tais obstáculos, Magno ainda projeta expansão em 2020. “O setor sempre mostrou sua força e potencial. Mesmo em momentos de forte recessão no país, como em 2015 e 2016, por exemplo, crescemos a taxas muito elevadas, de 300% ao ano. A We Brazil Energy, em particular, cresce 800% desde o início das suas operações, em 2015. O cenário atual é desafiador, mas apostamos que há como crescer. Existe uma fortíssima demanda retraída no nosso setor – avalia Alex Magno.

Para Rodrigo Sauaia, presidente do conselho de administração da ABSOLAR, mesmo em meio a um cenário incerto de pandemia global, o setor solar fotovoltaico deverá continuar crescendo em todo o mundo, incluindo o Brasil. “O crescimento será menor do que o inicialmente projetado, não há dúvidas disso. Mas, ainda assim, o ano de 2020 deverá apresentar um resultado final positivo. Com isso, não há dúvidas de que a fonte solar fotovoltaica, se bem incorporada como parte das medidas de recuperação da economia brasileira, será um instrumento chave para alavancar e acelerar a retomada de nossa sociedade”, assegura.

A fonte solar fotovoltaica já trouxe, no total, mais de R$ 26,8 bilhões em novos investimentos privados ao Brasil e gera cerca de 130 mil empregos acumulados desde 2012.

Mais informações em www.webrazilenergy.com

Posts Relacionados

Supergasbras cria Programa Avançar, direcionado aos desafios da liderança feminina

Diário da Cidade

Estudo apresenta o Raio-X da mobilidade da mulher no Brasil

Diário da Cidade

8 melhores apps para ficar com as contas no azul e fazer seu dinheiro render

Diário da Cidade

Fabricantes de agulhas e seringas buscam atender demanda para a vacinação contra COVID-19

Applied Biology e Samel inauguram centro de pesquisa em Covid-19 no Amazonas

Construindo Letras: Projeto de alfabetização beneficia colaboradores de canteiros de obras

Diário da Cidade

Curso sobre Governança Corporativa aprimora profissionais do Terceiro Setor

Diário da Cidade

Sony confirma saída do mercado brasileiro em março de 2021; entenda

Petrobras anuncia nova alta nos preços da gasolina, diesel e gás

Cresce o número de acidentes envolvendo motociclistas

Diário da Cidade

Fluimucil®: medicamento da farmacêutica italiana Zambon pode ser adjuvante no tratamento e recuperação das complicações causadas pela COVID-19

Diário da Cidade

Eppendorf adota teletrabalho permanente para 85% dos colaboradores

Diário da Cidade

Biogen Brasil lança campanha “Se o simples complicar, investigue”

Diário da Cidade

BR Distribuidora e Lojas Americanas anunciam joint venture no segmento de conveniência

Diário da Cidade

O oligopólio dos ônibus e sua guerra de fake news

A Cultura do Cancelamento: autor alerta para o perigo dos rótulos na internet e o inconsciente coletivo

Especialistas apontam operadoras de celular com melhor custo-benefício no Sul

Franquia de casa de repouso é investimento aquecido pela pandemia e aumento da população de idosos

Diário da Cidade

Rip Curl confirma ‘Grom Search apresentado por Praia da Grama’

Diário da Cidade

54% dos brasileiros devem levar marmita para o trabalho, aponta pesquisa

%d blogueiros gostam disto: