Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
ENTRETENIMENTO

O patinho feio da enocultura? Screw cap tem mais valor do que pensamos

Saca-rolhas é coisa do passado. Muitas garrafas já são lacradas com tampas de rosca, sem prejuízo à qualidade da bebida

 

Quando se pensa em uma garrafa de vinho, automaticamente o que vem à mente é a tradicional rolha guardando a sete chaves a deliciosa bebida.

 

Mas, há algum tempo essa imagem começou a mudar.

 

Em muitos rótulos, as charmosas rolhas de cortiça foram substituídas por tampas de rosca, chamadas de screw cap.

 

Os mais críticos e os amantes de decoração, que costumam encher vidros com as rolhas e exibi-los em suas casas, até podem torcer o nariz, mas o vinho com tampa de rosca está cada vez mais presente nos supermercados, empórios e e-commerces.

 

Da rolha à tampa de rosca

 

O preconceito com o screw cap se dá principalmente porque, no mundo dos vinhos, a tradicional rolha de cortiça permite a passagem de oxigênio para dentro da garrafa, o que ajuda o vinho a envelhecer, resultando em uma bebida de maior qualidade.

 

Entretanto, algumas pesquisas indicam que a cortiça não deixa o oxigênio entrar, apenas libera, com o tempo, o gás contido no próprio material.

 

Além disso, vale lembrar que a maioria dos vinhos produzidos no mundo não são de guarda e devem ser consumidos ainda jovens. Por isso, a micro-oxigenação não é tão essencial, abrindo oportunidade para os produtores adotarem soluções mais eficazes e econômicas.

 

Feita a partir de cápsulas de alumínio, a tampa de rosca passou a ser difundida no Brasil há cerca de quinze anos. Em países como Austrália, Nova Zelândia e África do Sul, a adoção já tem mais de vinte anos.

 

Atualmente, optar pela rolha ou pelo screw cap é entendida pelos especialistas como uma questão comercial ou de estilo do produtor.

Benefícios da tampa de rosca

 

Utilizar a controversa tampa de alumínio tem pontos positivos, tanto do ponto de vista do produtor quanto do consumidor.

 

A grande vantagem ao utilizar uma tampa do tipo screw cap é que o vinho fica hermeticamente fechado.

 

Dessa forma, não há o risco de contaminação por fungos, o que pode acontecer com as rolhas de cortiça: é a chamada doença da rolha, bouchonné, que causa um odor desagradável no material.

 

Outra vantagem é que os custos da tampa de alumínio são menores. O custo do screw cap para o produtor é de, em média, R$0,18. Já uma rolha pode custar até R$ 3 a unidade e o valor extra, é claro, é repassado ao consumidor, encarecendo a bebida.

 

Além disso, a tampa de rosca contribui com a popularização do vinho: torna a bebida prática de abrir, pois não precisa do saca-rolhas, e pode ser guardada facilmente na geladeira caso a garrafa não seja toda consumida.

 

A maior perda ao aderir à tampa de rosca é no charme. Apesar da praticidade, esse tipo de vedação jamais substituirá a tradicional experiência de ouvir um leve estampido ao retirar a rolha para degustar um vinho.

Vinhos com tampa de rosca

O screw cap já é usado de forma massiva em vinhos brancos, rosés e tintos.

 

No Brasil, a tampa de rosca tem sido mais utilizada nos vinhos brancos, pois a maioria dos produtores elaboram vinhos jovens, indicados para consumo imediato.

 

Ela também é mais adequada para que vinhos tintos jovens e rosés evitem contato com o oxigênio, preservando seu perfil aromático, sua cor e seu frescor.

 

Ou seja, trocar a rolha pela tampa de rosca não significa que o vinho é de baixa qualidade. Na grande maioria das vezes, só quer dizer que aquela bebida deve ser consumida mais rapidamente em comparação a um vinho de guarda.

 

Quando se trata de vinhos com um grande potencial de guarda, a cortiça ainda é a preferência.

 

O futuro das rolhas

 

Os diversos benefícios da tampa de rosca, entretanto, não significam o fim das rolhas. As nações produtoras mais tradicionais, como França, Itália, Portugal e Espanha, ainda resistem à adoção da tampa de rosca, bem como, os consumidores brasileiros.

 

Por marcar presença nas garrafas da bebida desde o século XVIII, a rolha de cortiça tem um importante valor histórico para o mundo dos vinhos.

 

É possível que, no futuro, as rolhas tradicionais sejam encontradas só nos vinhos especiais, aqueles produzidos por grandes vinícolas e que passarão anos e anos guardados nas adegas, enquanto que os vinhos consumidos no dia a dia venham com a vedação de alumínio.

 

Seja como for, é possível afirmar com certeza que a qualidade dos vinhos não vai cair. Ao contrário: com as modernizações da indústria, ela só vai melhorar. Vinhos online, essa é a opção para garantir rótulos com ótimos sabores no conforto do seu lar!

Posts Relacionados

Modelos ousam no OnlyFans e lançam ensaio lésbico na plataforma

Diário da Cidade

Psicóloga Ana Paula Majcher aborda “Maternidade ideal versus possível” em livro sobre Primeira Infância

Ação de Dia das Mães do Bistek tem série em vídeo com influenciadora digital

Lançamento de filtro no Instagram e projeto digital inédito no mês de maio

Hospital de Olhos Sadalla inaugura sua versão 4.0 em clínica inteligente com tecnologia de ponta

Promoção de Dia das Mães sorteia carro zero para quem contratar seguro de vida com Sicoob

Aussie Grill lança promoção em parceria com a Brahma

Conviver consigo mesmo está sendo uma tarefa difícil?

Diário da Cidade

Arte e criatividade conferem personalidade a presentes do Dia das Mães no Porto Belo Outlet Premium

Diário da Cidade

1º CORRE E PEDALA VIRTUAL PELA INCLUSÃO

Angélica vende peças de seu guarda-roupa em live shop beneficente e arrecada R$19 mil em 24 horas

Coisa de Mãe é Coisa Nossa: Guaraná Antarctica convoca Adriana Esteves para interpretar cenas cotidianas das mães brasileiras

Gatas do Flamengo e do Internacional posam juntas e falam sobre rivalidade no campo

Campanha especial de Dia das Mães presenteia clientes com cool bag exclusiva no Itajaí Shopping

Mais de 75% dos turistas aprovam o cumprimento dos protocolos de prevenção contra a pandemia na região da Costa Verde & Mar

Aquele friozinho está chegando… e sua casa precisa dessas mudanças

Manu Berger assina coleção de sapatilhas para Leonor Shoes

Livro infantil “Independência ou… Confusão” conta momentos da história do Brasil de forma ilustrada e divertida

Dicas para economizar água usando a máquina de lavar

Sucos funcionais: o que são e receitas deliciosas para você preparar