Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
Noticia BR

“O primeiro a ser comido vai ser o Aécio”, disse Machado a Jucá

 

 

 

 

 

 

Nas conversas ocorridas em março e divulgadas nesta segunda-feira, 23, o ministro do Planejamento, o senador licenciado Romero Jucá (PMDB-RR), um dos principais articuladores do impeachment de Dilma Rouseff, cita o ministro Serra e os senadores Aécio Neves, Aloysio Nunes e Tasso Jereissati, todos do PSDB. “O primeiro a ser comido vai ser o Aécio”, disse Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, em referência à Operação Lava Jato.

Jucá afirma ainda que Aécio não ganharia eleições:  “O Aécio não tem condição, a gente sabe disso, porra. Quem que não sabe? Quem não conhece o esquema do Aécio? Eu, que participei de campanha do PSDB…” Os diálogos de uma hora e 15 minutos sugerem um pacto, inclusive com “o Supremo, com tudo”, para barrar a Lava Jato.

Confira:
Machado: ”A situação é grave. Porque, Romero, eles querem pegar todos os políticos. É que aquele documento que foi dado…”

Jucá: “Acabar com a classe política para ressurgir, construir uma nova casta, pura, que não tem a ver com…”

Machado:
“Isso, e pegar todo mundo. E o PSDB, não sei se caiu a ficha já”.

Jucá: “Caiu. Todos eles. Aloysio [Nunes, senador], [o hoje ministro José] Serra, Aécio [Neves, senador]”.

Machado: “Caiu a ficha. Tasso [Jereissati] também caiu?”

Jocá: “Também. Todo mundo na bandeja para ser comido”

Machado: “O primeiro a ser comido vai ser o Aécio”.

Jucá:
“Todos, porra. E vão pegando e vão…”

Machado: “O que que a gente fez junto, Romero, naquela eleição, para eleger os deputados, para ele ser presidente da Câmara? [Mudando de assunto] Amigo, eu preciso da sua inteligência”.

Jcuá: “Não, veja, eu estou a disposição, você sabe disso. Veja a hora que você quer falar”.

Machado: “Porque se a gente não tiver saída… Porque não tem muito tempo”.

Jucá:
“Não, o tempo é emergencial”.

Mchado: “É emergencial, então preciso ter uma conversa emergencial com vocês”.

Jucá: “Vá atrás. Eu acho que a gente não pode juntar todo mundo para conversar, viu? […] Eu acho que você deve procurar o [ex-senador do PMDB José] Sarney, deve falar com o Renan, depois que você falar com os dois, colhe as coisas todas, e aí vamos falar nós dois do que você achou e o que eles ponderaram pra gente conversar”.

Machado: “Acha que não pode ter reunião a três?”

Jucá: “Não pode. Isso de ficar juntando para combinar coisa que não tem nada a ver. Os caras já enxergam outra coisa que não é… Depois a gente conversa os três sem você”.

Mchado: ”Eu acho o seguinte: se não houver uma solução a curto prazo, o nosso risco é grande”.

[…]

Machado: “É aquilo que você diz, o Aécio não ganha porra nenhuma…”

Jucá:
“Não, esquece. Nenhum político desse tradicional ganha eleição, não”.

Machado: ”O Aécio, rapaz… O Aécio não tem condição, a gente sabe disso. Quem que não sabe? Quem não conhece o esquema do Aécio? Eu, que participei de campanha do PSDB…”

Jucá: “É, a gente viveu tudo”.

 

 

 

Posts Relacionados

Personalização de serviços e produtos: um diferencial competitivo para as empresas

Trabalhar viajando: saiba quais os países que abriram as fronteiras para o nomadismo digital

Accor mobiliza esforços em apoio ao Rio Grande do Sul

Tecnologias brasileiras terão lugar em feira têxtil na Argentina

Justiça condena empresa de laticínios a pagar adicional de insalubridade. Entenda como funciona o benefício

Diário da Cidade

Plenário do CFC prorroga prazos para auxiliar profissionais de contabilidade do RS

Rinite e asma lideram ranking de doenças respiratórias dos brasileiros. Como saber a diferença entre as duas?

Médicos alertam para risco de distúrbio na menopausa causado pela lipedema

Farmácias Nissei transformam mais de 400 lojas em pontos de doação para vítimas das enchentes do Rio Grande do Sul

Feedback, check out, business: ranking revela os termos do vocabulário corporativo mais pesquisados pelos internautas