Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
Noticia BR

Pesquisa da UFSCar busca dessalinização da água mais barata e eficiente

Pesquisa da UFSCar busca dessalinização da água mais barata e eficiente

No entanto, a tecnologia no foco das atenções – a osmose reversa, que domina o mercado de dessalinização – é relativamente cara, tem alto consumo energético e exigências de manutenção complexas. Por isso, em todo o mundo, pesquisadores buscam alternativas mais baratas e eficientes, dentre as quais se destaca a deionização capacitiva.

No Brasil, o Laboratório de Tecnologias Ambientais (Latea), sediado no Departamento de Engenharia Química (DEQ) da UFSCar, foi pioneiro na aplicação da chamada deionização capacitiva à dessalinização de águas salobras. Luís Augusto Martins Ruotolo, docente do DEQ que coordena o Laboratório, conta que o seu contato com a tecnologia aconteceu em seu pós-doutorado realizado na Universidade de Wisconsin-Madison, nos Estados Unidos, e que na volta, em 2013, montou o que viria ser o primeiro grupo na América Latina a trabalhar com a técnica para a dessalinização.

Processo de deionização capacitiva

O processo de deionização capacitiva utiliza dois eletrodos aos quais é aplicada uma voltagem, similar à de uma pilha comum. Assim, um dos eletrodos fica polarizado com carga positiva e outro com carga negativa. Entre eles, passa a água salobra, contendo cloreto de sódio, NaCl (sal de cozinha). O íon de sódio, carregado positivamente (Na+), é atraído pelo polo negativo, e o cloreto (Cl-) fica retido no eletrodo de carga positiva, restando ao final a água própria para consumo, sem sal. Os eletrodos, por sua vez, são compostos por carvão ativado, que pode ser obtido de diferentes fontes e é similar aos utilizados nos filtros domésticos. No entanto, para o uso na deionização, novos materiais precisam ser desenvolvidos, com maior capacidade de retenção dos elementos químicos a serem retirados da água.

Uma das pesquisas realizadas por Ruotolo obteve um material com características otimizadas para uso na deionização a partir de um polímero condutor, a polianilina (produzida a partir da anilina, um derivado do petróleo). O material foi patenteado e, agora, os próximos passos são o desenvolvimento de um protótipo, antes da utilização em escala comercial. Outros estudos buscaram o aproveitamento de resíduos das indústrias de etanol e de papel na produção do carvão ativado para os eletrodos. Atualmente, o grupo está investigando uma nova classe de materiais, visando a aplicação da dessalinização eletroquímica à água do mar.

Os trabalhos do Latea foram destaque na revista Pesquisa, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), em dezembro de 2017, e, em edição de maio este ano, Ruotolo voltou a comentar a deionização capacitiva como alternativa à osmose reversa. Além da Fapesp, os trabalhos desenvolvidos no Laboratório contam com apoio financeiro também do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Fonte: UFSCar.

Posts Relacionados

Americanas se torna parceira estratégica do UNICEF e doa 180 mil kits de higiene e limpeza para famílias vulneráveis com idosos

diariodacidade

Na corrida contra lixões, Abetre e MMA lançam plataforma de controle de resíduos

diariodacidade

Mês do Orgulho LGBTQIA+ é marcado por debate nas empresas sobre diversidade e inclusão

diariodacidade

ANS determina cobertura obrigatória de testes rápidos para COVID-9 a planos de saúde

diariodacidade

Capacidade de leitos de UTI em hospital de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, dobra após doação da Taurus

diariodacidade

Telemedicina ajuda a cuidar da saúde mental em meio à pandemia

diariodacidade

AstraZeneca e governo Brasileiro assinam acordo para a distribuição e produção da vacina da Universidade de Oxford no País

diariodacidade

De professora de educação física a competidora Força Bruta

diariodacidade

Fortlev expande conectividade e segurança da rede Wi-Fi com soluções Aruba

diariodacidade

Biogen lança plataforma online sobre atrofia muscular espinhal

diariodacidade

Jovens cientistas criam primeira feira de ciências brasileira inteiramente virtual

diariodacidade

Novo marco legal do saneamento básico no país é aprovado no Senado

diariodacidade

Convivência abalada: o crescimento do divórcio na pandemia

diariodacidade

Infraestrutura de Saneamento: benefícios incontestáveis à saúde pública e ao desenvolvimento e crescimento econômico do país

diariodacidade

Na surdina, querem privatizar as águas…

diariodacidade

Tecnologias de descontaminação exigem planejamento para terem eficiência, alerta Ramboll

diariodacidade

Com isolamento social, Cultura Inglesa usa aplicativo de mensagens para incentivar conversação em inglês

diariodacidade

Trabalho do Tecpar com sinalização viária colabora com a segurança

diariodacidade

ABCON lança estudo inédito sobre regulação do saneamento em série de webinars do Connected Smart Cities

diariodacidade

Anahp realiza live entre representantes da saúde e Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação

diariodacidade

Oi, este aviso é só pra te lembrar de CURTIR nossa FanPage no Facebook

Assim, você poderá estar cada vez mais atualizado das novidades de sua região!

CLOSE
%d blogueiros gostam disto: