????????????????????????????????????

Rede Feminina de Combate ao Câncer recebe R$ 38 mil em doações do Troco Solidário

O morador do bairro Efapi Salvador da Rosa Filho frequenta a loja do Fort Atacadista em Chapecó todos os dias e impreterivelmente deixa sua contribuição no projeto Troco Solidário, ação de responsabilidade social realizada pela rede de atacarejo que chegou ao município há seis meses. Nessa sexta-feira (25), Salvador presenciou a sua contribuição ser entregue a Rede Feminina de Combate ao Câncer (RFCC), a primeira entidade a ser beneficiada pelo Fort Atacadista em Chapecó. Apósseis meses, o valor arrecadado chegou a R$ 38.047,01.

“Não deixo de contribuir. Fazer o bem é uma atitude que além de ajudar outras pessoas nos faz crescer como seres humanos. Estamos aqui todos de passagem e enquanto eu puder fazer algo por alguém assim farei. É um valor muitas vezes simbólico, mas que junto com as demais doações fará uma grande diferença”, observou Salvador.

O projeto é desenvolvido pelo Fort desde 2007 e já soma mais de R$ 5 milhões destinados a dezenas de instituições de caridade dos Estados onde a rede está presente. Os valores correspondem às doações realizadas voluntariamente pelos próprios clientes no ato das compras.

“Estamos muito felizes com essa parceria entre o Fort Atacadista e a Rede Feminina. Não existem palavras suficientes para expressar a nossa gratidão, aos colaboradores da rede e, principalmente, aos clientes que contribuíram com essa causa”, agradeceu a presidente da Rede Feminina de Combate ao Câncer, Rita Orlandi.

O valor recebido, segundo Rita, será utilizado para a ampliação do espaço físico da parte de bazar e sala de costura e a instalação de placas de energia solar. “O restante do dinheiro será destinado para manutenção e melhoria do atendimento às pacientes”, complementou.

A gerente de gente e gestão do Fort Atacadista, Denise Forte, explicou que são recebidos ofícios das entidades interessadas em participar e após avaliação são escolhidas aquelas que beneficiam a comunidade de forma idônea e ética por meio do trabalho social desenvolvido. “Efetuamos todo um trabalho com as operadoras de caixa para que expliquem o projeto e ofereçam a oportunidade de contribuir aos nossos clientes, mas a escolha é livre para cada consumidor que decide o valor que será doado. Independentemente do valor, o que importa é doar de coração”.

Além do troco solidário, o Fort Atacadista não faz uso de sacolas plásticas, mas efetua a venda com um valor simbólico para aqueles que desejam utilizá-la e desse valor R$ 0,04 centavos são doados para a instituição beneficiada pelo Troco Solidário. “Somente nessa edição foram cerca de R$ 10 mil com a venda das sacolas”.

A operadora de caixa Marcia da Silveira foi a que mais arrecadou doações em seu caixa. Foram mais de R$ 2 mil em doações e, segundo ela, o segredo foi o carisma e a simpatia. “O bom atendimento é uma premissa básica, mas tudo aquilo que fazemos com amor traz resultados diferentes. Estou muito feliz em ver o resultado desses seis meses sendo entregue para a entidade. Continuarei, assim como minhas colegas, me dedicando para que outras entidades possam ser beneficiadas”.

NOVO CICLO

Entre os meses de janeiro e junho de 2019 a entidade que será beneficiada no Projeto Troco Solidário é a Associação Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Chapecó. Julio Treichel, diretor financeiro da APAE, agradeceu a parceria com o Fort Atacadista e está otimista com mais essa etapa. “Para nós é motivo de muita honra e satisfação ter sido escolhidos como a próxima entidade a ser beneficiada. Os principais contemplados serão os 310 usuários dos nossos serviços”, ressaltou.

Treichel destacou que muitos são os projetos que a APAE matém, entre eles a construção da calçada em paver para o melhor acesso dos cadeirantes, a instalação de câmaras de monitoramento em todas as salas e também de painéis para energia solar.

De acordo com o gerente regional do Forte Atacadista, Lucas Assis, essa é uma ação extremamente importante executada nas 37 lojas Fort Atacadista espalhadas pelo Brasil. “Valorizamos muito as entidades que desenvolvem trabalho social na região e apostamos, por meio desse projeto, no fortalecendo das ações comunitárias que são de grande relevância para a população. Entregamos o cheque para a Rede Feminina com sensação de dever cumprido e agora trabalharemos com o mesmo afinco para que as doações para a APAE também sejam expressivas”.