Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
Esportes SC zz Esporte BR

Regata tática na subida do Atlântico

Regata tática na subida do Atlântico

A disputa da oitava etapa da Volvo Ocean Race 2017-18 segue equilibrada na costa brasileira. Na altura da Bahia, os sete barcos estão praticamente empatados após quatro dias de navegação desde Itajaí (SC). A perna pelo Atlântico tem ao todo 5.700 milhas náuticas e seu destino final é Newport (Estados Unidos).

Na prática, os barcos estão espalhados! Mais próximo à costa – 200 milhas náuticas – está o Sun Hung Kai | Scallywag e o mais a leste é o Turn the Tide On Plastic. No meio tem dois pelotões formados por team AkzoNobel e Team Brunel e Dongfeng Race Team, MAPFRE e Vestas 11th Hour Racing. Esse último é o líder provisório desta quinta-feira (26).

A brasileira Martine Grael, integrante do team AkzoNobel, destacou o equilíbrio da oitava etapa da Volvo Ocean Race com destino aos Estados Unidos. ”Estamos sempre em contato visual com os outros barcos. Mas sempre fazendo o melhor que podemos a todo o momento, e sabemos que tem muita coisa ainda por vir”.

Ao contrário da etapa anterior pelos mares do sul, a perna de Itajaí a Newport é mais lenta, porém bastante tática. ”Desde que saímos do Brasil foi um grande contravento até agora, muitas manobras nos últimos dois dias, quase não dormimos muito”, revelou a campeã olímpica Martine Grael.

As equipes agora precisam definir as estratégias para a entrada nos ventos alísios e mais para o fim de semana nos Doldrums. Novamente a flotilha cruzará a Linha do Equador.

”Hoje estamos lidando com uma seqüência de nuvens de chuva. Espero que os concorrentes não acelerem como a gente”, disse Dee Caffari, do Turn The Tide on Plastic.

O português Frederico de Mello também comentou a situação atual do Turn the Tide on Plastic na regata. ”Estamos aqui na etapa de Itajaí, e até agora está tudo bem. Conseguimos nos manter a frente da frota. Agora, vamos seguir mais a leste, o que será um pouco arriscado já que a frota está seguindo a oeste, mas esperamos que dê resultado. A regata está muito equilibrada, está muito forte”.

As próximas 24 horas são cruciais para o resultado da perna de 5.700 milhas náuticas. Os barcos devem fazer a prova entre 13 e 16 dias.

Posts Relacionados

Tratamento para pacientes com Diabetes Tipo 2 não será coberto pelos planos de saúde

Nova alíquota de importação deve impulsionar mercado de brinquedos em 2021

Camboriú empata com Fluminense e leva o título do turno da Segundona de SC

Cambura vence o Juventus e volta para a liderança do Catarinense Série B

Minibasquete e atletismo nessa sexta-feira no JEBEQUINHO

Comemoração dos 40 anos de ginástica na praia foi nessa quinta-feira

Balneário Camboriú sedia Liga SC de Handebol Feminino nesse sábado

Atletas representam Balneário Camboriú na Liga Catarinense de Voleibol nesse domingo

Copa Yokohama de Karatê terá 15 atletas de Balneário Camboriú

Do coração do Brasil para o 10º Transcatarina

Bota do Mundo 2018

Balneário Camboriú disputa handebol pelos Jogos Abertos da Terceira Idade

Garten reúne atletas amadores em campeonato de crossfit

Pódio para Balneário Camboriú no vôlei de praia nesse fim de semana

Estadual sub-17 de Basquete acontece nessa semana em Balneário Camboriú

Próxima edição da Volvo Ocean Race será com barcos da IMOCA

Fraiburgo e Transcatarina: a comemoração da Bodas de Estanho

Tiago Real aposta em histórico positivo diante do Figueirense para Ponte Preta se aproximar do G-4 da Série B

Pâmella Mel completa 40 pódios

Guarda Municipal terá treinamento com atleta especialista em segurança