Usuários cobram melhorias em ciclovias de Balneário Camboriú

Acumulo de água, falta de sinalização e outros problemas motivam reclamações.

Ciclistas que trafegam pela malha cicloviária de Balneário Camboriú, que somam mais de 35 quilômetros de extensão, apontam vários itens que oferecem risco durante o trajeto. Entre os problemas estão a pista/tinta escorregadia, falta de sinalização, acumulo de água, desníveis e problemas de interligação entre alguns trechos das ciclovias.

Mês passado a Prefeitura de Balneário Camboriú informou, por meio de sua assessoria, que:

“Os estudos para o novo Plano Cicloviário de Balneário Camboriú entraram na reta final. Desde fevereiro, arquitetos urbanistas, em parceria com o Fundo Municipal de Trânsito (FUMTRAN) e o setor de Planejamento do Município, conferem a demarcação das ligações que precisam ser melhoradas. A previsão de conclusão é até o fim desta semana.” .

Fonte: https://www.bc.sc.gov.br/imprensa_detalhe.cfm?codigo=25059

Fonte da imagem: https://www.mobilize.org.br/mapas/64/vias-ciclisticas-de-balneario-camboriu-sc.html

A ideia é que ainda em 2019 sejam implantados mais 14,5 km de ciclovia, e em 2020 a previsão é de um número ainda maior, 26,5 km. No ano passado já foram executados 8,5 km, e o total existente hoje é de 38 km de ciclovia ao longo do município. Com a realização do projeto a previsão é de um acréscimo de 50 km cicloviários executados, totalizando assim cerca de 80 km em todo o município de Balneário Camboriú.

Em entrevista para o Moacir Pereira do NSC, o atual prefeito disse:

“Balneário Camboriú será uma cidade fantástica”, promete Fabrício Oliveira, prefeito da cidade – https://www.nsctotal.com.br/colunistas/moacir-pereira/balneario-camboriu-sera-uma-cidade-fantastica-promete-fabricio-oliveira

Resta aguardamos quando a “Veneza, ou Dubai Brasileira” conforme quiserem chamar, se tornará uma cidade fantástica.

Enquanto isso, a cidade onde os patinetes elétricos, andam nas calçadas e os ciclistas pedalam em ciclovias, que praticamente sem condições para trafegarem e que se arrastam há anos.

Fotos: Divulgação Anônima.