Professores de Balneário Camboriú inspiram alunos e são exemplos de dedicação

17
Parceiros:

Professores de Balneário Camboriú inspiram alunos e são exemplos de dedicação

“Educação é o meu viver, é como um vício. A criança é o pai do homem, tudo que ela aprende leva para o resto da vida”. Há nada mais que 40 anos como professora, é assim que Roselene Steil Silva, de 58 anos, do Centro Educacional Municipal (CEM) Tomaz Francisco Garcia em Balneário Camboriú, enxerga a profissão que escolheu. Ela faz parte da equipe de 1.620 professores que lecionam na Rede Municipal de Ensino de Balneário Camboriú e que diariamente tem a missão de multiplicar conhecimento e contribuir com o futuro de crianças, jovens e adultos.

No próximo domingo (15) é o Dia do Professor, por isso a Secretaria de Educação reuniu diversas histórias inspiradoras destes profissionais que serão publicadas a partir da próxima semana na página da secretaria no Facebook. Uma delas é a da Roselene, que apesar dela confessar não ter o domínio da tecnologia utilizada atualmente pelos alunos, é exemplo de dedicação na realização de projetos inovadores que trazem qualidade de vida e incentivo a autoestima dos estudantes.

É dela a ideia do projeto “Mudança de Hábito” que desde o início do ano é desenvolvido no CEM Tomaz Francisco Garcia com o objetivo de incentivar os alunos a ter uma boa qualidade de vida por meio de uma alimentação saudável e bons hábitos como leitura e relaxamento. Em conjunto com a professora de Educação Física, Marinei Sedrez, que abraçou a causa. Elas criaram um “Espaço Zen”, inaugurado na última semana. O espaço é um ambiente na entrada da escola que convida a todos a compartilhar momentos de lazer. Livros, mesa de chá, banquinhos com almofadas para leitura, jogos, aparelho de tear manual e até um escalda pés com bolinhas de gude para o relaxamento compõem o espaço. Um destaque é o “Jardim Zen”, uma mesinha com bandeja de areia branca que os alunos criam desenhos como forma de trabalhar a calma e a ansiedade.

“Achei fantástico somente pelo fato de mexer na areia. Nunca tinha ouvido falar”, opinou o aluno Gustavo Abreu, de 11 anos, se referindo a técnica utilizada. Já Heloísa Vieira, do 5° ano, relatou que percebeu a verdadeira mudança de hábito nos colegas de classe. “Uma menina perdeu quilos com ajuda nutricional”, falou em relação ao tema de obesidade infantil. “Outro colega mudou até de comportamento. Ele era agressivo e agora até beija e abraça a professora”, concluiu a menina com sorriso no rosto. O Espaço Zen é o resultado de várias ações que envolvem atividades de culinária, artesanato, empreendedorismo, finanças, saúde e literatura. O espaço era um bicicletário e foi revitalizado para o trabalho em parceria com a Secretaria de Obras, que fez o piso e arborizou o ambiente.

“Para muitas crianças a felicidade está dentro da escola. Essas atividades fazem eles perceberem o quanto são importantes e que conseguem ir muito mais além do que imaginavam. Um espaço para a conversa aberta que traz os alunos para dentro da escola de uma forma diferente. Gestos simples que transformam vidas”, disse a professora Marinei que trabalha há 24 anos na Centro e utiliza o esporte como ferramenta acolhedora no projeto.

Na Educação Infantil também não faltam bons exemplos. As professoras Sandra Eliane Runke Santos e Suélen Mateus Albini da Silva, do NEI Odácia Tereza Damázio, criaram o projeto “E se eu fosse você” que estimula as crianças a se colocarem no lugar de outra pessoa e assim aprender sobre diversidade e respeito ao próximo. As professoras fazem diversas atividades para que as crianças vivenciem experiências, se colocando no lugar de outras pessoas, como os deficientes físicos, os deficientes visuais, o gordo e o magro e aborda questões raciais. O trabalho foi tão significativo que foi selecionado para participar do III Colóquio Franco-Latinoamericano de Pesquisa sobre Deficiência, em março deste ano.

“Ficamos preocupadas e observamos que apesar deles serem bem pequenos, eles já faziam algumas brincadeiras com relação ao estado físico, cor ou tipo de cabelo” conta a professora Suélen. A partir daí elas arrumaram a sala de aula com um monte de fotos de pessoas com características físicas bem diferentes. “Quando eles entraram na sala e viram aquelas figuras, logo se aproximavam daquelas com que se identificavam. Um deles, que tinha lábio leporino, tentou proteger um bebê em uma foto que também tinha essa condição. Aí começamos a trabalhar com a questão da diversidade com eles” disse a professora Sandra.

Na Educação Especial os professores também não medem esforços para o desenvolvimento dos educandos, de acordo com suas especificidades. Neste ano, o departamento desenvolveu um software inédito para o acompanhamento dos alunos, que reúne os mais variados dados para que o professor de educação especial possa desenvolver atividades e ferramentas mais assertivas. Também criou o polo bilíngue de Libras e Português escrito e em breve deve ser criado o polo de Altas Habilidades.

Neste ano, a Secretaria de Educação está desenvolvendo um cronograma de formação continuada de gestores e professores em parceria com outras instituições privadas. A meta é levar até o professor novas possibilidades que contribuam com o aprendizado e garantir que novos projetos de sucesso sejam desenvolvidos nas escolas e creches. “Um dos vieses de valorização do profissional da educação é garantir a formação continuada. Realizamos parcerias ao longo de todo o ano de forma sistemática porque acreditamos no potencial dos nossos professores. Neste dia 15 de outubro queremos agradecer a dedicação desses profissionais que com seu trabalho contribuem com o crescimento da nossa cidade”, falou a secretária de Educação, Rosangela Percegona Borba.

____________________
Informações Adicionais:

Secretaria de Educação
(47) 3363-7144