Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
Noticia BR

ANATEL REALIZARÁ CONSULTAS PÚBICAS PARA DISCUTIR OS PLANOS DE FRANQUIA DE INTERNET BANDA LARGA FIXA

Durante 60 dias, o órgão regulador irá dialogar com o público e se reunirá com entidades governamentais especialistas para debater o assunto.

Nesta quarta-feira (8), a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) anunciou que vai realizar consultas públicas e reuniões com entidades governamentais e especialistas, por 60 dias, sobre a franquia de dados na internet banda larga fixa. A Anatel alega que o objetivo desta consulta é reunir subsídios para futura deliberação do Conselho Diretor sobre o tema. Ainda não foi informado como a agência reguladora irá receber as contribuições da população.

Entre as entidades que serão ouvidas estão o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, o Ministério Público Federal, a Secretaria Nacional do Consumidor, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), a Secretaria de Acompanhamento Econômico, a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste), o Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Comitê Gestor da Internet (CGI.Br), a Associação Brasileira de Internet (Abranet), a Associação Brasileira de Provedores de Internet (Abrint), o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal (Sinditelebrasil) e especialistas em Direito, Economia e Tecnologia.

Após o recolhimento de dados, o material será encaminhado a um grupo executivo constituído por três superintendências da Anatel — Planejamento e Regulamentação, Competição e Relações com os Consumidores — e terão um prazo de 120 dias para tomar uma decisão. É valido lembrar que a medida cautelar que proíbe as operadoras de reduzir a velocidade da internet, suspender o serviço e cobrar o tráfego excedente, continua em vigor por prazo indeterminado.

Nesta mesma quarta-feira, a superintendente de relações com consumidores da Anatel, Elisa Leonel, disse que o Marco Civil da Internet proíbe apenas a interrupção do serviço, mas permite a cobrança dos dados excedentes do plano contratado do cliente, assim como a redução da velocidade de navegação. Já o representante do instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Rafael Zanatta, declarou que estabelecer limites para tráfego de dados na internet fixa é o mesmo que criar planos de internet distintos, um para os pobres e outro para os ricos, já que os mais afetados serão os pobres, pois não poderão pagar quando ultrapassarem a franquia. “Não é apenas um problema econômico, mas também social”, opinou Zanatta.

Em audiência pública na Câmara de Deputados promovida pela Comissão de Fiscalização Financeira e Controle e pela Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, os deputados responsáveis junto às entidades de defesa do consumidor apontaram ilegalidades e formação de oligopólio por parte das operadoras de telefonia. O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, também alegou, nesta segunda-feira (6), que suspeita de ilegalidades dentro da Anatel. O presidente chegou a declarar que irá pedir o afastamento do Presidente da Agência, João Rezende, que tem mandato até o fim deste ano.

“Rezende tem privilegiado os interesses das empresas do setor de telefonia em detrimento dos consumidores”, afirmou Lamachia. Para ele, autorizar a limitação do uso da internet fere os direitos do consumidor, além de dar mais importância para lucros do que para o acesso a informação e a democratização. Segundo o presidente, também estão sendo investigadas discrepâncias entre valores apresentados pela Anatel e pela Secretaria do Tesouro Nacional (TCU) sobre os fundos. A TCU apresentou um valor de RS 82 bilhões referentes à arrecadação bruta do Fistel entre 1997 e 2015. Já a Anatel alega que o valor é de R$ 67 bilhões. Ou seja, há R$ 15 bilhões que não batem nas contas. “Estamos investigando este assunto ainda, mas pelo comportamento de Rezende nos últimos tempos, o correto é que seja afastado do mandato”, concluiu Lamanchia.

POR AMANDA MACUGLIA

Posts Relacionados

Farmtech recebe investimento de 10 milhões de dólares da Bewater

Diário da Cidade

Serasa lança desafio de faxina em 3 minutos com influenciadores de limpeza no TikTok

INSS: como recorrer de decisão negativa?

Iniciativa Privada cresce 203% no atendimento a municípios em 4 anos de Marco Legal, revela Panorama do Saneamento

Clima frio e seco favorece o aumento de problemas respiratórios

51 milhões de brasileiros têm ofertas especiais para quitar dívidas, mas desconhecem benefícios

Quando o câncer de cólon e reto necessita de cirurgia?

Férias de Julho: 59% das famílias que pretendem viajar projetam gasto máximo de R$3 mil, aponta Serasa

Feira da Louça em Campo Largo já tem data marcada

Planejamento de aposentadoria: quais os benefícios e como fazer