Com gol de Ramiro, Grêmio vence Toluca e espera por adversário das oitavas da Libertadores

146

Equipe do técnico Roger Machado deve enfrentar um argentino na próxima fase

Agora, resta esperar o adversário nas oitavas de final. Com um surpreendente gol de Ramiro, o Grêmio derrotou o Toluca por 1 a 0, na noite desta terça-feira na Arena e fechou sua participação na primeira fase da Libertadores. A definição sobre o próximo rival sai apenas na quinta-feira, mas a tendência aponta cruzamento com os argentinos River Plate ou Rosario Central, com a segunda partida fora. Importante foi escapar de um novo cruzamento com o time mexicano, o que forçaria o desgaste de uma longa viagem e o risco de atuar numa altitude de 2,6 mil metros.

Ganhar era a missão e o Grêmio desde cedo tratou de cumpri-la. A estratégia foi cercar a área do Toluca com movimentação e troca de posições. Até mesmo Douglas circulou por todos os setores da intermediária, atraindo a marcação para os avanços qualificados de Luan, que sofria com o rigor das faltas mexicanas. Mas era Ramiro como surpreendia. Sem se limitar às jogadas pelo lado direito, somou-se a Giuliano como armador e foi decisivo para abrir brechas na defesa. Seria premiado em pouco tempo.

O primeiro chute foi de Luan, a 11 minutos. Com campo aberto, ele aproximou-se da área, mas concluiu fraco. Aos 14, foi Douglas quem tentou, de longe, em curva, por cima. Bobô também teve sua oportunidade, a 14 minutos, em passe de Maicon, mas também errou. Como só uma equipe jogava, o gol era iminente. A 15 minutos, com um passe perfeito, que encobriu os defensores os marcadores, Luan encontrou Ramiro sozinho na frente do goleiro. Baixinho, o volante convertido em lateal nem precisou saltar para desviar de cabeça e fazer 1 a 0.

Foi o melhor momento do time no primeiro tempo. Pouco depois, Luan, de “chapa”, quase ampliou. A partir daí, a equipe perdeu a intensidade e a inspiração. Por vezes, a partida tornou-se desinteressante, quase sonolenta. Sem ambição, o Toluca evitava entrar determinado nos lances. Já o Grêmio, percebendo a fragilidade do adversário, também se aplicava menos do que o habitual. Maicon e Walace seguiam avançando com qualidade, mas o lance final, que caberia a Bobô, era mal concluído.

O Toluca só assustou a 32 minutos, em vacilo de Marcelo Oliveira, mas o chute de Gamboa foi defendido por Marcelo Grohe.

No segundo tempo, a qualidade da partida despencou. O Grêmio já não contava com Geomel, preservado depois de sofrer uma pancada na coxa direita. E também não avançava com a mesma disposição do primeiro tempo, como se já pensasse na sequência de jogos — serão mais dois, até domingo. Roger Machado tentou sacudir o time com Lincoln e Henrique Almeida, mas foi como se a equipe não tivesse sido alterada em duas posições. Coube de novo a Ramiro a jogada que quebrou a monotonia da partida. Ramiro, no interior da área, pela direita, fez o cruzamento e Henrique Almeida chegou atrasado. Aos 37, a última chance, cm Luan, com um chute rasante, que passou ao lado da trave direita.