Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
Noticia SC

Levantados custos de produção da maçã em São Joaquim

O Painel do Projeto Campo Futuro, realizado nessa quinta-feira (5), com os produtores da região de São Joaquim (SC) oportunizou levantar os custos de produção da maçã. A iniciativa também possibilitou apresentar aos produtores a metodologia de análise de custos adotada no projeto que é desenvolvido pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pelo Centro de Inteligência em Gestão e Mercados da Universidade Federal de Lavras (CIM/UFLA), com a parceria do Sistema FAESC/SENAR-SC e Sindicato Rural da região. Também estiveram presentes representantes da Associação Catarinense de Maçã e Pêra de SC (AMAP).

 A abertura do evento foi conduzida pelo vice-presidente de finanças da FAESC e presidente do Sindicato Rural de São Joaquim, Antônio Marcos Pagani de Souza, que destacou a importância da fruticultura para o município e região e falou sobre expressão do painel com foco para a maçã. “Tivemos a oportunidade de realizar o Campo Futuro em 2018 nesta região produtora de maçã e, na época, observamos que o custo médio de 40 toneladas por hectare era de R$ 0,82. Esse levantamento dos custos é muito importante porque o produtor consegue planejar, fazer investimentos e evoluir. Conhecer o real custo de produção é fundamental para o produtor saber se está tendo resultados. Também é essencial para garantir segurança no momento de investir”, observou.

Pagani também reconheceu o importante trabalho da coordenadora do Departamento Sindical da FAESC, Andreia Barbieri Zanluchi, dos Sindicatos Rurais envolvidos e, principalmente, dos produtores rurais e técnicos que contribuíram para o sucesso do Painel de Fruticultura e dos demais realizados até o momento. Desde junho ocorreram eventos sobre grãos (milho, arroz e soja), suinocultura, avicultura de corte, horticultura (alho e cebola) e por fim o de fruticultura (maçã).

O painel de fruticultura foi conduzido pela assessora técnica de frutas, hortaliças e flores da CNA, Letícia Fonseca e pelo coordenador do setor agropecuário do CIM, Matheus Mangia. “A análise de custos foi feita com base em uma propriedade modal, àquela que melhor representa a realidade das propriedades da região. Assim, o modelo adotado foi, uma propriedade com quatro hectares cultivados com maçã, com produção de 45 toneladas/hectares”, explicou Letícia.

Segundo ela, a propriedade possui cultivo não irrigado e produção semimecanizada. As principais variedades plantadas são Fuji (60%) e Gala (40%). A maioria da comercialização é feita diretamente às empresas, que por sua vez classificam os lotes recebidos em Standard e Clone, Categorias 1, 2 e 3, e em menor proporção, categoria indústria. Para esta análise, foi definido como preço médio pago ao produtor o valor de R$ 1,52/kg”, destacou ao complementar que com uma produção de 45 toneladas por hectare o custo parcial de produção ficou em ficou em aproximadamente R$ 1,14/Kg produzido.

A metodologia adotada, segundo Letícia, permitiu trazer informações sobre: os Custos Operacionais Efetivos (COE), que incluem todos os itens considerados variáveis ou gastos diretos representados pelo dispêndio em dinheiro, tais como insumos, mão de obra e serviços terceirizados; o Custo Operacional Total (COT), que é formado pela soma do COE, depreciação dos equipamentos, maquinário e outros bens e o pró-labore, que corresponde à remuneração dos proprietários; além do Custo Total (CT), que representa a soma do COT com o custo oportunidade de uso do capital e da terra.

De acordo com Matheus, no cenário proposto, as atividades de colheita e pós-colheita representam 28% do COE. Já as atividades de condução representam 56,4% do COE, dos quais 6,6% são para aquisição de fertilizantes e 18% de defensivos. “A produção agrícola e a manutenção do empreendimento ao longo do tempo é um desafio ao produtor. Deve-se analisar a capacidade de arcar com os custos desembolsáveis – àqueles que tocam a atividade no curto prazo, mas também os relacionados ao custo da terra e depreciação, por exemplo, pois são estes que irão direcionar o empreendimento à longo prazo”.

O presidente do Sistema FAESC/SENAR-SC, José Zeferino Pedrozo, destacou a importância que São Joaquim exerce em todo o País com a produção de maçã. “Nosso Estado é o maior produtor da fruta do Brasil e sabemos que uma quantidade expressiva está concentrada em São Joaquim. Com a realização do Painel Campo Futuro conseguimos avaliar o atual cenário, o que é fundamental para pensarmos estratégias que fortaleçam ainda mais a atividade, gerando renda justa aos produtores e, consequentemente, mantendo a posição de destaque que essa cultura tem no País”.

Posts Relacionados

Santander amplia sua presença em Santa Catarina e inaugura novas agências

Diário da Cidade

MPF realiza ação inédita voltada à população em situação de rua em Florianópolis

Sebrae/SC se reúne com produtores de cachaça e banana de Luiz Alves para debater Indicação Geográfica

Vereadores garantem recurso para aplicação em escolinhas esportivas

Em oito meses, IMA realiza 30 operações de fiscalização de produtos perigosos

Vokkan lança manifesto para apresentar o posicionamento do VivaPark Porto Belo, primeiro bairro parque do Brasil

Programa do SENAR/SC transforma a vida de mulheres do campo em São Domingos

Deputado Kennedy Nunes apresenta ao Ministério da Saúde proposta de incluir a cirurgia de correção intrauterina na tabela do SUS

STARK realiza curso sobre M&A e Operações de Crédito no Centro de Inovação Blumenau em 6 de outubro

Feira do Empreendedor Digital 2021 do Sebrae está com as inscrições abertas

II Conecta Saúde promove debate sobre segurança do paciente

Diário da Cidade

FFM tem inscrições abertas em cursos voltados a capacitação de executivos e empreendedores

Cooperativas Ailos se unem para preservar o bem-estar e a saúde mental de colaboradores

Santa Catarina zera imposto de medicamentos do kit intubação

Ferramenta gratuita do SENAR ajuda a garantir qualidade na produção de leite

Warren Investimentos anuncia aquisição da corretora Renascença DTVM

Governo do Estado trabalha para desbloquear rodovias catarinenses

Mercado imobiliário altamente aquecido atrai novas empresas para a região da Costa Esmeralda

Banco para condomínios fundado em SC recebe novo investimento de 6 milhões de reais

Mapeamento do ecossistema de CTI de SC ainda tem temas disponíveis para projetos