Pastor (e juiz) Marco Feliciano critica Jean Wyllys e o ator José de Abreu por cuspirem em adversários

501

Dois eventos recentes envolvendo agressões por parte de defensores da presidente Dilma Rousseff (PT), quando o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) e o ator José de Abreu cuspiram em desafetos, causaram enorme repercussão nas redes sociais, e o pastor Marco Feliciano (PSC-SP) teceu comentários a respeito.

Para o líder evangélico, ambos são “cuspidores do ódio” que acreditam serem “donos da verdade que se vitimizam quando acuados e se escondem atrás de seus preconceitos”.

Feliciano comentou o discurso feito por Abreu durante sua participação no Domingão do Faustão na noite de ontem, 24 de abril, destacando os variados palavrões que ele usou para se referir ao casal que o teria provocado a ponto de fazê-lo cuspir na mulher que protestava contra as ideias que ele defende.

“A @RedeGlobo deve um pedido de desculpas ao povo brasileiro por ter permitido, que, a lhama cuspideira do @zehdeabreu falasse tantos palavrões e acusações durante o Domingão do Faustão. Ao tentar defender Dilma não poupou vulgaridades. Boca suja”, escreveu o pastor em suas redes sociais.

Lembrando que o ato de cuspir no próximo demonstra arrogância, Feliciano citou referências bíblicas que reiteram esse gesto como desrespeitoso: “Cuspir em alguém é sinal de desprezo, ódio, desamor, rejeição total, é expressão de hostilidade e agressividade, manifestando desrespeito. Fizeram isso com Jesus. Não satisfeitos em o humilhar: ‘Então cuspiram-lhe no rosto e lhe davam punhadas, e outros o esbofeteavam’, MT 26:67. Reação preconceituosa. O leproso Jó falou sobre isso: ‘Abominam-me, e fogem para longe de mim, e no meu rosto ñ se privam de cuspir’, Jó 30:10”

 

Wyllys e Abreu, segundo o pastor, “são tagarelas que vomitam decorebas que mal sabem o significado […] apenas repetem o que ouviram e mal sabem que falam deles mesmos”.

“Existe algo mais fascista do que cuspir em alguém? Isso denota que o alvo do escarro é menor e desprezível. O cuspidor sente-se superior. Se fossemos eu e Bolsonaro os cuspidores, os esquerdopatas, os que sofreram lavagem cerebral pela mídia e os idiotas úteis, nos linchariam”, afirmou, fazendo um exercício de imaginação baseado nas reações em situações passadas. “Acho que já passou da hora dos brasileiros começarem a rever quem é quem de verdade. Eu e Bolsonaro sempre quando atacados, nos calamos. O ex-BBB e o GLOBAL sub-intelectual, desfilam o ódio e já deram provas dos seus desequilíbrios, mesmo assim são ovacionados pela mídia”, acrescentou.

Por fim, o pastor lembrou que é preciso comparar o discurso com a prática: “Eles pregam: menos ódio, mais amor, e um monte de ladainhas, mas quando confrontados com a verdade, na ausência de sabedoria para refutar intelectualmente, de maneira porca e desonrosa COSPEM nos seus semelhantes. Chega”, concluiu.