Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
Balneário Camboriú e Camboriú

Servidor público que recebeu diploma de pós-graduação com atraso será indenizado em Balneário Camboriú

O juízo do 2º Juizado Especial Cível da comarca de Balneário Camboriú condenou uma instituição de ensino superior ao pagamento de indenização por danos morais em favor de um servidor público que concluiu um curso de pós-graduação, mas demorou mais de um ano para receber o documento.

Consta nos autos que o diploma daria ascensão na carreira do autor da ação, inclusive vantagens adicionais de qualificação e retribuição por titulação, os quais não pôde receber em razão de não ter o certificado. O homem matriculou-se em julho de 2018 no em um curso de pós-graduação, na modalidade à distância, e apesar de concluir o curso em outubro de 2019 a faculdade se negava a fornecer o diploma de conclusão – mesmo estando com todas as mensalidade quitadas.

A instituição de ensino argumentou que não houve o cometimento de qualquer prática ilegal por parte dela e que o prazo máximo para entrega de diplomas é de até 120 dias, podendo ser prorrogado por igual período. Salientou ainda que desde o início da pandemia, todos os alunos que colaram grau têm acesso através do autoatendimento no sítio eletrônico, à certidão de colação de grau, emitido digitalmente.

“Quanto ao pedido de indenização por danos morais, entendo merecer ser acolhida, pois embora a narrativa na inicial seja atinente a inadimplemento contratual, no caso dos autos, entendo que este não ocorreu de forma pura e simples. Digo isso, pois não se pode deixar de levar em conta a frustração advinda pelo autor do não recebimento do diploma, diante do empenho, tempo e dinheiro dispendidos, além da satisfação pessoal de ter concluído mais um nível superior”, cita em sua decisão a juíza substitua Bertha Stecker Rezende, a respeito da demora de 16 meses para a entrega do certificado de conclusão de curso.

A faculdade foi condenada ao pagamento de R$ 15 mil, a titulo de indenização por danos morais, valor este que deverá ser acrescido de correção monetária e juros mora. A entrega do certificado foi realizada logo após o ingresso da ação. Da decisão, cabe recurso (Autos n. 005337- 89.2021.8.24.0005​).

Posts Relacionados

Guarda Municipal faz cumprir mais de 100 mandados de prisão este ano

Secretaria de Educação estende prazo de efetivação da matrícula da última convocação do Fila Única

Câmara de BC abrirá consulta pública para seleção do ano temático de 2022

Diário da Cidade

Prazo de inscrição para o credenciamento de artistas termina em 9 de agosto

Balneário Camboriú registrou 35 novos casos de Covid-19 nesta quinta-feira

Camboriú firma parceria com o Senai para cursos de qualificação profissional

Camboriú oferta aulas de karatê para a comunidade

Atividades especiais são oferecidas aos idosos em Balneário Camboriú

Lar dos Idosos recebe recurso de R$ 10 mil da FG Big Wheel e Rádio Menina

Inicia instalação de galerias celulares na nova ponte do Rio das Ostras

Força-tarefa para retirada de fios obsoletos de postes está na Avenida Brasil

Audiência sobre Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2022 acontece no próximo dia 30

Projeto de lei institui o Dia Municipal em Memória às Vítimas da Covid-19

Mutirão de especialidades médicas para crianças neste sábado no Posto de Atenção Infantil

Julho Amarelo: Balneário Camboriú promove mutirão de testagem para hepatites virais

Câmara de BC aprova os dois projetos na pauta da sessão extraordinária

Homem de 59 anos morre de coronavírus em Balneário Camboriú

Briga de bar quase acabou em morte no Bairro dos Estados

Inclusão Social promove oficina de beleza que incentiva o cuidado próprio

UniAvan tem mais de 60 bolsas de 100% via Prouni