Diário da Cidade – Notícias Balneário Camboriú Esportes Entretenimento Eventos Política Empregos Camboriú Itajaí Itapema Navegantes Santa Catarina Brasil e Mundo
Noticia BR

Roubo de catalisador cresce e preocupa donos de carros

Catalisador automotivo: você sabe para que serve? Ou onde ele se localiza no veículo? Conseguiria descrever sua forma e seu funcionamento?

 

Se você respondeu não a essas perguntas acima, relaxe: quase ninguém sabe as respostas, o que mostra que o catalisador não é, de fato, um dos elementos mais populares em um carro.

 

No entanto, tudo indica que a sina desse discreto componente da mecânica automotiva, que muitas vezes passa despercebido pela maioria dos motoristas, está prestes a mudar. Ao menos, é o que indica a crescente onda de furtos dessa peça nos últimos anos.

 

O fenômeno é global – no Reino Unido, o roubo de catalisadores cresceu de 2 mil casos em 2018 para 13 mil casos em 2019 – e começa a dar as caras aqui no Brasil também, onde já são registrados incidentes de furtos da peça.

 

O que explica esse súbito interesse pelo catalisador? Na verdade, os ladrões não estão em busca da peça em si, mas sim de alguns componentes internos, responsáveis pelo funcionamento do sistema.

 

A função do catalisador é reduzir os poluentes gerados pela combustão do motor – a peça elimina quase 98% deles, o que é ótimo para o meio ambiente. Mas para fazer isso, o catalisador automotivo precisa de substâncias catalisadoras, que são capazes de transformar um elemento químico em outro. Nesse caso, estamos falando de alguns metais que possuem essa característica, e ficam dentro da peça.

 

O que acontece é que esse metais – como ródio, paládio e platina – são considerados raros e, nos últimos anos, viram seus preços dispararem no mercado de metais preciosos devido à sua crescente escassez. A onça de ródio, por exemplo, viu seu preço saltar de US$1.700 dólares há três anos para bater os US$ 27.000 em 2021. 

 

Com valores estratosféricos como esses, não deveria causar surpresa que a criminalidade voltasse sua atenção para essa fonte acessível de metais preciosos: o catalisador do seu carro. Estima-se que um catalisador furtado possa render em torno de 400 dólares em metais, cerca de 2 mil reais. 

 

Em diversos países, tem se tornado comum que bandidos ignorem a presença de pessoas e apliquem o ato criminoso em plena luz do dia: geralmente em duplas, um deles cuida de levantar o carro para que o parceiro retire a peça. Agindo com rapidez, eles fogem e desaparecem da vista dos perplexos transeuntes.

Para as vítimas, o problema vai além do roubo da peça: na pressa, os malfeitores simplesmente cortam, arrancam ou destroem todo o sistema de escapamento do carro, o que gera prejuízos ainda maiores. “Alguns modelos de carros são preferidos pelos bandidos por conta da localização mais acessível do catalisador, que facilita o trabalho criminoso deles”, alerta Gustavo Braga, diretor da Carupi, uma autotech de compra e venda de carros online.

 

Cuidado com golpes

 

O especialista também alerta para a possibilidade de de golpes que começam a aparecer no mercado, visando os catalisadores. Segundo Braga, a peça original costuma ter vida útil de 80 mil km, mas em muitos casos continua funcionando bem por muito mais tempo. “É importante estar atento a quem condena a peça, dizendo que precisa ser trocada por uma nova. Pode ser uma tentativa de repassar o catalisador retirado do carro no mercado paralelo e obter algum lucro”, adverte.

 

No caso dos roubos, o executivo da Carupi aconselha prestar atenção aos locais onde se estaciona o carro, e também aos horários. “Pode compensar pagar um estacionamento fechado ou talvez caminhar um pouco mais, e garantir que seu carro não seja o próximo alvo”, conclui.

Posts Relacionados

Na África do Sul, MSF apoia centros de saúde e comunidades vulneráveis após semana de violência

Preço da gasolina no Sul aumentou 1,14% no início de julho, aponta Ticket Log

Policy paper inédito sobre a relevância da triagem neonatal para atrofia muscular espinhal é lançado no Brasil

Benefícios das embalagens compostáveis para resíduos orgânicos

Com aumento de brasileiros que estão e cortando gastos, especialista explica o que não cortar para manter saúde física e mental em dia

Jovens precisam de incentivo para primeiro emprego

Salvador, Fortaleza e Campos do Jordão são destaques na busca por passagens rodoviárias em Julho

Agricultor de Mato Grosso do Sul mantém produtividade do milho mesmo com seca

Diário da Cidade

Empresa gaúcha de antecipação de créditos judiciais cresce com a pandemia

Diário da Cidade

Buser comemora 4 anos patrocinando gigantes de Minas Gerais

Diário da Cidade

Após um ano da aprovação telemedicina cresce no Brasil e atinge marca de mais de 7,5 milhões de teleconsultas

Diário da Cidade

Senado aprova PL prorrogando isenção de IPI para carros PCD

Preço do diesel avança no segundo semestre e combustível registra valor mais alto do ano, aponta Ticket Log

Energia solar pode ser solução para a crise energética brasileira, aponta especialista

Home care: fundamental para recuperação completa de pacientes mais graves de Covid-19

Tendências e inovações para o RH é foco do Conecta; evento online que deve movimentar 25 mil pessoas

Ambev entrega 1,4 mil cilindros de oxigênio às unidades de saúde no Estado de SP

Diário da Cidade

Nossas ações dizem tudo | Nespresso e Kobra se Unem em projeto de arte UpCycling

Diário da Cidade

Jurista elenca crimes que Bolsonaro comete ao ameaçar eleições

Bracell publica Relatório de Sustentabilidade 2020 com destaque para geração de emprego e ações de enfrentamento à pandemia